Como funciona a eleição de Pastor?

Publicado em: 2 de julho de 2021 Por: Rev. Ageu Magalhães
Como funciona a eleição de Pastor? Veja abaixo algumas diretrizes.

Período mínimo: Art. 34 – alínea “a”: O Pastor-efetivo será eleito por uma ou mais igrejas, pelo prazo máximo de cinco anos, podendo ser reeleito, competindo ao Presbitério julgar das eleições e dar posse ao eleito.


A Constituição determina o prazo máximo, cinco anos, mas não o mínimo. Então, pode ser 1, 2, 3, 4 ou 5 anos.


Procedimento e base constitucional para a eleição: Art. 83, alínea “e” – São funções privativas do Conselho:
encaminhar a escolha e eleição de Pastores.

Logo é o Conselho quem determina o processo de eleição, é ele quem diz quantos pastores vão concorrer, quais os critérios para as indicações, prazos e demais procedimentos.


Determinado o processo, vem o
Art. 110: Cabe à assembleia da igreja local, quando o respectivo Conselho julgar oportuno, eleger Pastor efetivo, Presbíteros e Diáconos.


Depois da eleição, entra o
Art. 88, alínea “h”: Funções privativas do Presbitério: julgar da legalidade e conveniência das eleições de Pastores, promovendo a respectiva instalação.


Sintetizando. O Conselho da igreja determina o processo, a Assembleia vota, o Presbitério examina o processo e, se estiver tudo correto, instala o ministro.
Compartilhe nas redes!

Newsletter

Inscreva-se para receber novos artigos do Blog.



Subscribe
Notify of
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments

Artigos Relacionados:


Pode o Conselho indicar o nome do Pastor?

Publicado em: 4 de agosto de 2021 Por: Rev. Ageu Magalhães
Presbiterianos podem ser “padrinhos” de casamento?

Publicado em: 27 de julho de 2021 Por: Rev. Ageu Magalhães
É possível fazer reunião de concílio pela internet (online)?

Publicado em: 26 de julho de 2021 Por: Rev. Ageu Magalhães
É possível receber membro que discorde do Batismo Infantil?

Publicado em: 21 de julho de 2021 Por: Rev. Ageu Magalhães
É possível fazer assembleia online para eleição de oficiais?

Publicado em: 10 de julho de 2021 Por: Rev. Ageu Magalhães
Por que o Art. 33 diz que o pedido do Conselho quanto a pastor tem que ser “sem designação” de nome?

Publicado em: 6 de julho de 2021 Por: Rev. Ageu Magalhães