Daniela Mercury, obrigado…

Na semana passada a cantora Daniela Mercury atraiu a atenção da imprensa, que é, digamos, bem simpática ao homossexualismo, ao publicar fotos de seu namoro com uma mulher. O que achei muito interessante (e por isso meu agradecimento no título do post) foi que Daniela, sem querer, mostrou que homossexualismo não é predeterminação genética, mas opção de comportamento. Explico melhor: Daniela casou-se aos 19 anos de idade com um homem e, com ele, teve dois filhos. Ficou casada com este homem durante 12 anos. Tempos depois, casou-se com outro homem, nove anos mais novo que ela, com quem ficou casada por 3 anos.
A questão é: Se Daniela Mercury nasceu homossexual, por que insistiu tanto na heterossexualidade, vivendo durante 15 anos com homens? Teria ela agido contra a própria natureza, violentando seus desejos homossexuais e submetendo-se a uma união infeliz? Certamente não.
Quando olhamos para o homossexualismo do ponto de vista bíblico entendemos melhor o que acontece. Homossexualismo é prática pecaminosa. E para aderir a uma prática pecaminosa, não é necessário ter propensão genética. Basta ter propensão ao pecado. E isso todo o ser humano tem! De modo que é completamente possível a um heterossexual ter práticas homossexuais e, a um homossexual ter práticas heterossexuais. A natureza caída potencializa o ser humano à prática pecaminosa sexual. Daniela Mercury é um exemplo claro disso.
O anúncio de Daniela coincide com o lançamento do livro do psiquiatra Flávio Gikovate “Sexualidade Sem Fronteiras”. Gikovate não é cristão e não advoga os padrões morais bíblicos, todavia, o bom senso o leva a algumas perspectivas. Ele diz em uma entrevista que, no futuro, “as pessoas não precisarão mais se definir como portadoras de uma orientação sexual definitiva, que nunca muda ao longo da vida. A derrubada do muro permite aos habitantes de um lado migrar para o outro – e vice-versa – quantas vezes isso lhes parecer razoável e adequado”.
É claro que a perspectiva deste psiquiatra é totalmente pecaminosa, mas concorda com ponto que estamos defendendo: Homossexualismo é escolha. Aliás, do ponto de vista bíblico, é mais que escolha. É condenação, por consequência do afastamento de Deus. Em Romanos 1.26,27 nós lemos: “Por causa disso, os entregou Deus a paixões infames; porque até as mulheres mudaram o modo natural de suas relações íntimas por outro, contrário à natureza; semelhantemente, os homens também, deixando o contato natural da mulher, se inflamaram mutuamente em sua sensualidade, cometendo torpeza, homens com homens, e recebendo, em si mesmos, a merecida punição do seu erro.” Pessoas distantes de Deus terão propensão maior a uma vida pecaminosa, tanto na área sexual quanto em qualquer outra.

Mas, e aqueles indivíduos que nascem com certa propensão ao homossexualismo? Meninos com preferências mais femininas e meninas com jeito masculinizado? A resposta é que propensão ao pecado, todos nós temos. O fato de um garoto nascer com uma propensão maior à mentira, não o justifica para ser um mentiroso. Uma garota que nasça com propensão maior à violência, não a torna, automaticamente, uma assassina. A natureza caída nos tornará propensos a determinados pecados, mas nem por isso devemos nos render a eles. A comunhão com Deus nos liberta destas propensões e nos dá uma vida de castidade e santificação. Neste sentido, veja abaixo alguns versículos libertadores:

Não reine, portanto, o pecado em vosso corpo mortal, de maneira que obedeçais às suas paixões; nem ofereçais cada um os membros do seu corpo ao pecado, como instrumentos de iniqüidade; mas oferecei-vos a Deus, como ressurretos dentre os mortos, e os vossos membros, a Deus, como instrumentos de justiça. Porque o pecado não terá domínio sobre vós; pois não estais debaixo da lei, e sim da graça.” Romanos 6.12-14
“Mas graças a Deus porque, outrora, escravos do pecado, contudo, viestes a obedecer de coração à forma de doutrina a que fostes entregues; e, uma vez libertados do pecado, fostes feitos servos da justiça. Falo como homem, por causa da fraqueza da vossa carne. Assim como oferecestes os vossos membros para a escravidão da impureza e da maldade para a maldade, assim oferecei, agora, os vossos membros para servirem à justiça para a santificação.” Romanos 6.17-19
Portanto, se fostes ressuscitados juntamente com Cristo, buscai as coisas lá do alto, onde Cristo vive, assentado à direita de Deus. Pensai nas coisas lá do alto, não nas que são aqui da terra; porque morrestes, e a vossa vida está oculta juntamente com Cristo, em Deus. Quando Cristo, que é a nossa vida, se manifestar, então, vós também sereis manifestados com ele, em glória. Fazei, pois, morrer a vossa natureza terrena: prostituição, impureza, paixão lasciva, desejo maligno e a avareza, que é idolatria; por estas coisas é que vem a ira de Deus [sobre os filhos da desobediência]. Ora, nessas mesmas coisas andastes vós também, noutro tempo, quando vivíeis nelas. Agora, porém, despojai-vos, igualmente, de tudo isto: ira, indignação, maldade, maledicência, linguagem obscena do vosso falar. Não mintais uns aos outros, uma vez que vos despistes do velho homem com os seus feitos e vos revestistes do novo homem que se refaz para o pleno conhecimento, segundo a imagem daquele que o criou…” Colossenses 3.1-11
Pois esta é a vontade de Deus: a vossa santificação, que vos abstenhais da prostituição; que cada um de vós saiba possuir o próprio corpo em santificação e honra, não com o desejo de lascívia como os gentios que não conhecem a Deus; e que, nesta matéria, ninguém ofenda nem defraude a seu irmão; porque o Senhor, contra todas estas coisas, como antes vos avisamos e testificamos claramente, é o vingador, porquanto Deus não nos chamou para a impureza, e sim para a santificação. Dessarte, quem rejeita estas coisas não rejeita o homem, e sim a Deus, que também vos dá o seu Espírito Santo.” 1 Tessalonicenses 4.3-8
Ou não sabeis que os injustos não herdarão o reino de Deus? Não vos enganeis: nem impuros, nem idólatras, nem adúlteros, nem efeminados, nem sodomitas, nem ladrões, nem avarentos, nem bêbados, nem maldizentes, nem roubadores herdarão o reino de Deus. Tais fostes alguns de vós; mas vós vos lavastes, mas fostes santificados, mas fostes justificados em o nome do Senhor Jesus Cristo e no Espírito do nosso Deus.” 1 Coríntios 6.9-11
Fugi da impureza. Qualquer outro pecado que uma pessoa cometer é fora do corpo; mas aquele que pratica a imoralidade peca contra o próprio corpo. Acaso, não sabeis que o vosso corpo é santuário do Espírito Santo, que está em vós, o qual tendes da parte de Deus, e que não sois de vós mesmos? Porque fostes comprados por preço. Agora, pois, glorificai a Deus no vosso corpo.” 1 Coríntios 6.18-20
“Filhinhos meus, estas coisas vos escrevo para que não pequeis. Se, todavia, alguém pecar, temos Advogado junto ao Pai, Jesus Cristo, o Justo; e ele é a propiciação pelos nossos pecados e não somente pelos nossos próprios, mas ainda pelos do mundo inteiro.” 1 João 2.1,2

73 comments on “Daniela Mercury, obrigado…”

  1. Gabriel Responder

    Sou protestante, mas acho que quando vamos argumentar devemos fazer de modo conciso, sem falácias. Existem pais de família, casados, com filhos e que ainda assim são gays, e em relação a isso, o que dizer? O que mais existe hoje são pessoas que reprimem seus desejos e comportamentos devido a opressão ou medo de julgamento. Devemos sim ampliar o debate acerca da homossexualidade, repito, o debate, não o embate. Jesus nunca perseguiu, nunca fugiu de um diálogo e nunca negou o amor. E que assim sejamos, ou tentemos, sermos seguidores e imitadores de Cristo. Abraço!

  2. Adalcir Nunes Responder

    Somente uma correção no termo homossexualismo para homossexualidade, uma vez que o sufixo"ismo" indica patologia e não se trata de uma doença.

  3. Anonymous Responder

    E que diferença faz se foi ou não propensão genética ? Isso não vai mudar em nada na vida de nós cristãos, quem casou foi ela, se ela errou quem deve jugar o ser-humano é Deus e não nós…Se vc é contra a homossexualidade basta vc não apoiar, não é necessário divulgar aos outros que é pecado pois isso gera brigas…Sou evangélico e quero paz, a única forma de fazer tal ato é não jugando o próximo 😀
    Ass: Felipe Alves (facebook)

  4. Juliana F. Ribeiro Lima Responder

    Ao Anônimo das 1:36 e demais q defendem essa falácia.

    "Se vc é contra a homossexualidade basta vc não apoiar, não é necessário divulgar aos outros que é pecado pois isso gera brigas…"

    Negativo, meu caro. Não asa ele não apoiar. Leia

    "Filho do homem: Eu te dei por atalaia sobre a casa de Israel; e tu da minha boca ouvirás a palavra e avisá-los-ás da minha parte.
    Quando eu disser ao ímpio: Certamente morrerás; e tu não o avisares, nem falares para avisar o ímpio acerca do seu mau caminho, para salvar a sua vida, aquele ímpio morrerá na sua iniqüidade, mas o seu sangue, da tua mão o requererei.
    Mas, se avisares ao ímpio, e ele não se converter da sua impiedade e do seu mau caminho, ele morrerá na sua iniqüidade, mas tu livraste a tua alma."
    Ezequiel 3:17-19

    Vc diz q não é necessário divulgar q é pecado. Acho q vc precisa antes combinar com Deus – a quem o Rev. Ageu deve satisfações realmente – não acha?

  5. Rev. Ageu Magalhães Responder

    Caro Gabriel, em primeiro lugar, obrigado pela visita. Não entendi a questão da falácia…

    Sobre pais de família que têm práticas homossexuais, é justamente sobre isso que eu estou falando. O pecado não escolhe idade, gênero, condição social ou estado civil. Basta ser humano para se estar vulnerável. Um abraço.

  6. Rev. Ageu Magalhães Responder

    Caro Felipe Alves, em primeiro lugar, obrigado pela visita. Creio que a Juliana já deu o rumo. Pecados precisam ser denunciados. Pregar o Evangelho pressupoe mostrar os pecados para que as pessoas se arrependam e se convertam dos seus maus caminhos. É isso. Um abraço.

  7. Anonymous Responder

    Obrigado por responderem Rev.Ageu Magalhães e Juliana F. Realmente é um segmento q tds devemos seguir porém, existem os que não aceitam essa mensagem e ao invés de simplesmente ignorar o nosso conselho geram discussões que se tornam muitas vezes atos violentos…Por isso prefiro não intervir nestes assuntos.Não apoio totalmente ,pois não quero um filho meu seguindo este caminho mas, não sou totalmente contra por que no fundo nós infelizmente não podemos mudar a cabeça de outro ser ,logo, devemos deixar que tenham o livre arbítrio que Deus nos deixou e que colhemos o que plantamos… 😀
    Ass : Felipe Alves

  8. Orlando Responder

    Ageu, me esclarece por favor, de onde estão tirando que o complemento de alguns termos o "ismo" tem sentido de doença. Então quando eu me refiro ao cristianismo eu estou chamando todos os cristãos de doentes??? Que negócio seria esse???

    Abraços
    Orlando
    souteologico.blogspot.com

  9. Filipe Almeida Responder

    Texto muito bom!
    Agora, independente do desejo homossexual ser intrínseco a alguém, ou seja,surgir naturalmente numa pessoa desde seu nascimento, ou não, no caso, ser uma opção sexual (na qual eu acho que se aplica, se não a todos, à maioria dos casos, já que nada na genética comprova ser algo biológico), a questão é ser pecado ou não. Alguns defendem esta causa por acharem que é algo da natureza deles, e não uma escolha, e por isso não devem lutar contra algo "natural". Acontece que o pecado também é de nossa natureza, mas nem por isso devemos deixá-lo predominar; neste sentido, devemos ser contra a nossa natureza. Devemos 'negar-nos a nós mesmos', mesmo tendo sido 'concebidos em pecado'. Desta forma, independente de a homossexualidade ser adquirida ou concebida, é pecado do mesmo jeito, e portanto tal prática deve ser combatida assim como qualquer outro pecado.
    O fato de dizermos que isso é pecado, não caracteriza a famigerada "homofobia". Condenar uma prática (e note que uma 'prática' é diferente de uma raça, cor, lugar de nascimento etc; prática é uma forma de agir) não é errado, tanto que muitos deles condenam o cristianismo e nem por isso chamamos de cristofobia. Condenamos o agir deles, baseados em nossos conceitos pré-estabelecidos de moral e ética, mas não os condenamos como pessoa. Não discriminamos pessoas, nós incriminamos algumas práticas, na verdade não nós, mas Aquele o qual estabeleceu os nossos padrões. Não incentivamos a violência, porque Cristo odeia o pecado, mas ama o pecador. E temos a Ele como exemplo. Somos todos pecadores e por isso não devemos julgá-los, mas nem por isso podemos concordar com tais práticas. Condenamos as práticas, não as pessoas, até porque cada um de nós faz práticas erradas, no entanto é o nosso dever nos arrependemos delas. O pecado é mau,qualquer um deles, a natureza das pessoas também, qualquer uma delas. Mas Deus é bom e perdoa, e pra isso NÓS e ELES (incrédulos) temos que reconhecer os nossos pecados, nos arrepender, pedir perdão pelo nosso agir, porque Ele é fiel e justo para nos perdoar os pecados e nos purificar de toda a injustiça. Amém.

  10. Ricardo Bonchristiani F. Responder

    Discordo. Sou cristão, e uma das maiores bobagens que alguém pode fazer é considerar "Lei Divina" postulados do Velho Testamento e opiniões de Paulo. O Velho Testamento se cumpriu e acabou em Cristo. No novo, importa é entender a Jesus, suas palavras, seus exemplos. Paulo é apenas Paulo, um homem com opiniões dignas de questionamento como qualquer outro. Paulo não é Deus, não é Jesus, Paulo é o "maior dos pecadores". Quando ele mesmo diz que toda a palavra é "divinamente inspirada e útil para ensinar" ele não disse que é "a total vontade de Deus em todos os quesitos para ser imposta ao mundo". Por que promover Paulo à categoria de Deus? Quando pediram pra Jesus resumir tudo, Ele disse: amar ao próximo e a Deus. Ou seja, seu culto acontece em se relacionar em amor com o próximo (não mentir, matar, roubar, adulterar etc. entram nessa categoria).

    "…A resposta é que propensão ao pecado, todos nós temos. O fato de um garoto nascer com uma propensão maior à mentira, não o justifica para ser um mentiroso. Uma garota que nasça com propensão maior à violência, não a torna, automaticamente, uma assassina". Esses pecados exemplificados envolvem prejudicar o próximo. O homossexualismo não deve ser encarado como Paulo faz, reduzindo-o a promiscuidade, sacanagem. Isso tudo também acontece entre heteros e continua sendo contrário aos princípios do amor, distorcendo o sexo. Homossexualismo é um sentimento de afeição, amor, assim como também existe nos heteros. Esse sentimento não vai contra o que Jesus disse em seu resumo da Lei. E se há quem nasça querendo amar gente do mesmo sexo, isso não pode ser pecado só porque um homem, que seguiu e interpretou Jesus, resolveu. A bíblia não pode ser entendida como 100% da vontade de Deus, e isso não afetará em nada a salvação pela Graça que Cristo nos deu. Paulo não pode ser entendido como Deus. Amar alguém do mesmo sexo, é amor. Deus é amor.

  11. Rev. Ageu Magalhães Responder

    Prezado Ricardo, em primeiro lugar, obrigado por sua visita ao blog. Você tem todo o direito de discordar, todavia, gostaria de argumentar o que você escreveu com meus pressupostos que são os da Reforma Protestante.

    Quando você diz que é cristão, refere-se a qual tradição cristã (católica, protestante, pentecostal)? Pergunto, porque nenhuma destas aceitaria o que você escreveu. Católicos creem na Bíblia, com livros apócrifos, e sob a autoridade da Igreja, que é quem interpreta oficialmente todos os textos. Mas eles creem, oficialmente, na Bíblia toda, embora com autoridade reduzida. Pentecostais creem na Bíblia toda também e, embora a experiência tenha muita força em sua interpretação, eles creem na Bíblia. Protestantes também creem na Bíblia toda e a consideram infalível, inerrante e suficiente. De Gênesis a Apocalipse, tudo é Palavra de Deus. Você advoga uma posição sui generis: O Antigo Testamento acabou. As cartas de Paulo não servem para nada. E todo o ensino de Jesus se resume a amar a Deus e ao próximo. Se entendi bem, a sua Bíblia cabe em um parágrafo. Pode jogar todos os 66 livros fora. Basta uma página! Gostaria de saber, repito, a que tradição cristã você pertence.

    Quanto a Cristo ter resumido toda a lei a amar a Deus e ao próximo como a si mesmo, trata-se de um resumo, não uma nova lei. Resumos não invalidam o texto completo, mas, apenas o sintetizam. E foi isso o que Cristo fez. Com "amor a Deus" sobre todas as coisas, ele resumiu a primeira tábua da Lei, os primeiros 4 mandamentos, que são verticais, apontam para Deus. Com "amor ao próximo" ele resumiu a segunda tábua da lei, os 6 outros mandamentos, pois são horizontais, tratam das relações entre homens. E este resumo das tábuas não anulou o texto inteiro, mas o intensificou. Explico: Eu amo a Deus sobre todas as coisas quando: 1)Não tenho outros deuses, 2) Tenho fé no invisível, não precisando fazer imagens de esculturas, 3) Consagro o nome de Deus, não o tomando em vão, 4) Reservo um dia na semana para consagrá-lo a Deus. Eu amo ao próximo como a mim mesmo quando: 5) Amo meu pai e minha mãe, honrando-os; 6) Preservo a vida de meu próximo, não o assassinando, 7) Respeito o casamento do meu próximo, não adulterando, 8) Respeito a propriedade do meu vizinho, não furtando, 9) Respeito a reputação do meu próximo, não dando falso testemunho contra ele, e 10) Respeito a vida de meu próximo, não cobiçando seus bens, mulher, etc.

    O resumo de Jesus não elimina o texto todo. E isso ele mesmo disse no Sermão do Monte: "Não penseis que vim revogar a Lei ou os Profetas; não vim para revogar, vim para cumprir." Mt 5.17 Na sequencia do texto, ele vai reafirmar os 10 mandamentos, trazendo sua interpretação verdadeira (que havia sido deturpada pelos fariseus) e intensificando a sua aplicação. Por exemplo: "Ouvistes que foi dito: Não adulterarás. Eu, porém, vos digo: qualquer que olhar para uma mulher com intenção impura, no seu coração já adulterou com ela" Mt 5.28. Outro: "Também foi dito: Aquele que repudiar sua mulher, dê-lhe carta de divórcio. Eu, porém, vos digo: qualquer que repudiar sua mulher, exceto em caso de relações sexuais ilícitas, a expõe a tornar-se adúltera; e aquele que casar com a repudiada comete adultério" Mt 5.31,32

  12. Rev. Ageu Magalhães Responder

    (continuação)

    Sobre homossexualismo, muitos textos apontam Deus condenando a prática. Digite os termos "homossexualismo" e "Bíblia" em um site de busca e você perceberá. A menos que Deus tenha mudado (e a Bíblia diz que Ele é imutável) Ele continua condenando a prática.

    Todavia, como você só acredita no que Jesus falou, posto abaixo alguns versículos que são reveladores quanto ao seu ensino:

    “Daí por diante, passou Jesus a pregar e a dizer: Arrependei-vos, porque está próximo o reino dos céus” Mt 4.17

    “Passou, então, Jesus a increpar as cidades nas quais ele operara numerosos milagres, pelo fato de não se terem arrependido: Ai de ti, Corazim! Ai de ti, Betsaida! Porque, se em Tiro e em Sidom se tivessem operado os milagres que em vós se fizeram, há muito que elas se teriam arrependido com pano de saco e cinza. E, contudo, vos digo: no Dia do Juízo, haverá menos rigor para Tiro e Sidom do que para vós outras. Tu, Cafarnaum, elevar-te-ás, porventura, até ao céu? Descerás até ao inferno; porque, se em Sodoma se tivessem operado os milagres que em ti se fizeram, teria ela permanecido até ao dia de hoje. Digo-vos, porém, que menos rigor haverá, no Dia do Juízo, para com a terra de Sodoma do que para contigo.” Mt 11.20-24

    “Respondeu-lhes Jesus: Os sãos não precisam de médico, e sim os doentes. Não vim chamar justos, e sim pecadores, ao arrependimento.” Lc 5.31,32

    “Portanto, se a tua mão ou o teu pé te faz tropeçar, corta-o e lança-o fora de ti; melhor é entrares na vida manco ou aleijado do que, tendo duas mãos ou dois pés, seres lançado no fogo eterno. Se um dos teus olhos te faz tropeçar, arranca-o e lança-o fora de ti; melhor é entrares na vida com um só dos teus olhos do que, tendo dois, seres lançado no inferno de fogo.” Mt 18.8,9

    “E, se um dos teus olhos te faz tropeçar, arranca-o; é melhor entrares no reino de Deus com um só dos teus olhos do que, tendo os dois seres lançado no inferno, onde não lhes morre o verme, nem o fogo se apaga.” Mc 9.47,48

    Nos textos acima Jesus fala sobre arrependimento de pecados e juízo para os não arrependidos. As pessoas gostam de associar Jesus ao amor, mas se esquecem de sua associação com justiça e juízo. Aliás, quem mais falou sobre inferno no Novo Testamento foi Jesus Cristo. Ele não deixará impunes os que atentam contra sua santidade.

    Que Deus o abençoe. Um abraço.

  13. Marcelo Montini Responder

    Só uma contribuição teológica reformada.
    O Ser humano perdeu seu livre arbítrio na queda, depois do pecado sua escolha foi e será sempre para o pecado. Todas as alianças nas Escrituras Sagradas, antes de uma iniciativa humana houve primeiro a de Deus. Deus propôs as alianças, culminando no pacto da graça.
    Marcelo Montini

  14. gustavo thomsen Responder

    Quanto ao termo "Homossexualismo" está errado não por designar doença, mas uma ideologia que você pode aderir ou não, por isso não existe homossexualismo uma vez que não é uma ideologia que pode ser aderida ou não, como o cristianismo, islamismo, socialismo, capitalismo, etc…o termo certo é homossexualidade, já que as pessoas tem sexualidades diferentes, nisso não há discussão já que não existiria também o termo heterossexualismo.
    Eu digo isso pois sou heterossexual não por opção, não escolhi ser heterossexual, eu simplesmente sou homem e sinto atração sexual por mulheres e nunca senti atração sexual por homens.
    A duas formas de explicar pessoas como a Daniela, uma é ela ter sido sempre homossexual e por várias razões como pressão social, religiosa, familiar, educacional e etc.. ter mantido durante alguns anos relação heterossexual, e hoje como é mais fácil ser aceito a homossexualidade ela conseguiu assumir, o que pode ser provável já que ela tem esta relação a algum tempo e só assumiu agora. Segunda opção é ela ser bissexual, ou seja sentir atração sexual pelos dois sexos.
    Sou cristão, e sei que a bíblia trata muito pouco sobre o assunto, justamente por não ser um tema que deveria ser tão discutido como outros "pecados" que trazem muito mais problemas a sociedade, como a hipocrisia religiosa que a bíblia fala muito mais.
    Por isso acho que nós cristãos deveríamos nos pré-ocupar muito mais outros assuntos, com tantos problemas que existentes nas igrejas, do que ficar discutindo o "sexo dos anjos". Não acha?
    Obrigado pelo espaço.
    Gustavo Thomsen.

  15. CEJA Adelino Alcântara Filho Responder

    Muito bom o seu texto. Bastante coeso e lógico. A resposta para o fato de alguns nascerem com inclinação para a prática foi muito interessante. Os tempos são difíceis e cada vez mais se encontram argumentos "coerentes" para rebater aquilo que adotamos como regra de fé e prática. Precisamos estar preparados e estudando as escrituras o tempo todo para não nos enganarmos e para que o amor não se esfrie em nós diante da multiplicação da iniquidade.

  16. Ricardo Bonchristiani F. Responder

    Caro Ageu, obrigado por publicar. Minhas respostas coloquei junto com algumas partes da sua, e separei com um traço:

    – "Quando você diz que é cristão, refere-se a qual tradição cristã (católica, protestante, pentecostal)? Pergunto, porque nenhuma destas aceitaria o que você escreveu" – Nesse caso, de fato não estou interessado que alguma das tradições cristãs me aceite. Jesus me aceitou antes das tradições que vieram séculos depois dEle. Não concordo com nenhuma das tradições em 100%, creio mesmo é no que Jesus fez, por fé, e à luz do Espírito. Por isso me apresentei apenas como cristão, uma liberdade em Cristo que adoro ter.

    – "Protestantes também creem na Bíblia toda e a consideram infalível, inerrante e suficiente" – Nem Paulo a considera infalível e inerrante. Eu a considero como ele disse: "útil". Na verdade até mais: vital. Não quero ser advogado da perfeição da bíblia. Infalível e inerrante é Deus, que vai bem além do que está na bíblia, e ela mesma deixa isso claro quando nos faz saber de Melquisedeque, que abençoa Abraão (que seria o primeiro "escolhido" de Deus), mas na verdade já não era, e nunca foi. Há salvação fora da tradição bíblica religiosa, providenciada pelo mesmo Deus por ela revelada.

    – "Você advoga uma posição sui generis: O Antigo Testamento acabou" – Para mim, acabou em Cristo. Vivo pela Graça, é Espírito, e não Lei. Não pretendo seguir a Lei de Moisés (Levítico, Deuteronômio etc., e acho que o sr. também não). O maior valor (prático) do VT, pra mim, está nos 10 mandamentos e nas profecias sobre Jesus.

    – "As cartas de Paulo não servem para nada" – Isso eu não disse (e isso também serve pra você Juliana F. Ribeiro Lima, e suas risadinhas de julgamento sarcástico). Claro que servem, e ajudam muito no trato com a vida cristã. Tanto que uso uma orientação do próprio Paulo em relação a tudo que leio dele mesmo: "Examinai tudo. Retende o bem." Faço isso em vez de ir contra Paulo, e aceitar tudo que leio dele. Quem arredonda o “inspirada e útil” para “infalível, inerrante”, inclusive sobre homossexuais, vai contra o que Paulo disse.

    – “Todavia, como você só acredita no que Jesus falou” – É pra acreditar em mais alguém? Se tem alguém que se equalize a Ele, pra mim, é o Espírito. E é com o Espírito que eu procuro ler até o que Jesus disse, como por exemplo quando ele fala que um filho enlutado não teria tempo para sepultar o próprio pai, ou que a pessoa não pode nem mesmo voltar em casa para se despedir ao seguir o evangelho. Isso é texto, na boca de Jesus. Mas o Espírito me diz que não se trata de uma ordem literal, seria algo non sense, absurdo.

    – Concordo com o sr. quanto ao resumo de Jesus. Nada do que está nos 10 mandamentos está inválido. Aliás, Deus julgará o mundo via Jesus, pelo Espírito, e não via bíblia. Segue…..

  17. Ricardo Bonchristiani F. Responder

    Continuação…

    – "Sobre homossexualismo, muitos textos apontam Deus condenando a prática… A menos que Deus tenha mudado (e a Bíblia diz que Ele é imutável) Ele continua condenando a prática" – As condenações estão junto com outras que, convenientemente, ninguém quer que seja definitiva. Quando se fala de “mentirosos” nas listas de pecadores que não herdarão os céus, como saber essa medida? A partir de quantas mentiras estou fora? A bíblia não sabe, e também não sabe o que realmente é pecado pra Deus. Só Deus sabe.

    Teve o caso do cara que não podia encostar na Arca da Aliança, nem pra ajudar, caiu morto. Davi dançava na frente dela, comeu pão que era proibido e não aconteceu nada. O que é pecado? Jesus disse que há aqueles que nasceram eunucos, os que ficaram eunucos e os que se fizeram por causa de Deus. Eunucos são assexuados, muitas vezes hermafroditas, certamente muitos transsexuais, homoafetivos etc. e Jesus disse que “nem todos estão aptos para este entendimento”.

    A bíblia diz que Deus é imutável, inclusive colocando isso na boca do próprio Deus. E a mesma bíblia diz que Deus se arrependeu, e também que ELe não pode se arrepender. Imutável em relação a quê?

    Se gays fossem tão importantes pra Deus, haveria um 11º mandamento: "Não amarás alguém do mesmo sexo". No entanto, a mentira, e até uma questão de ordem operacional, como guardar um dia pra Deus, entraram na frente. A bíblia não é Deus. O VT é cheio de coisas que podem ser apropriadas como opiniões e leis de Deus. Tipo: “Aos Seus anjos Ele dará ordens a teu respeito, para que te guardem”, que o Diabo usou contra Jesus. Por que Jesus não obedeceu ao texto da Palavra do Deus imutável?

    Pra mim, homossexualismo não é natural e, claro, só com eles não haveria humanidade. Mas, se a pessoa é, sente isso desde sempre, deve poder vivenciá-la, em amor junto à salvação pela graça, à luz do Espírito. E se, por acaso, o Espírito levar a consciência a algum lugar diferente, que vá em paz. Acho que a obra da cruz é muito mais ampla do que querem encaixotar.

    Abs

  18. Filipe Almeida Responder

    Caro Bonchristiani, entendo que você se denomine cristão. Também concordo que você possa discordar de certos aspectos. Ainda admito que a Bíblia esteja passível de diferentes interpretações, por se tratar de um livro tão complexo muitas vezes. Mas o que você acabara de dizer é um completo equívoco.
    A "Lei Divina" que você chama, que supostamente não deve estar postulada no Velho Testamento ou nas "opiniões" de Paulo, continua a ser a Palavra de Deus (pra quem se denomina Cristão, claro).
    É certo que o modo no qual Deus opera se faz de diferentes formas ao longo da história; mas o Deus do antigo testamento é o mesmo do novo, que é o mesmo hoje. Deus é imutável.
    Obviamente temos que ver o contexto do antigo testamento, vemos assim que nem tudo se aplica aos dias de hoje quando se refere a alguns tipos de leis. Israel era uma nação teocrática, portanto suas leis civis (leis de milhares de anos atrás) eram de cunho religioso. Os tempos mudaram, mas o princípio delas é o mesmo, tanto assassinar, quanto não guardar o "sábado" (que veio a se tornar domingo), quanto a homossexualidade, estão igualmente eradas, a diferença é a sanção de tais crimes, que já não são de ordem civis.
    As leis morais ainda hoje são válidas. No caso da homossexualidade, o princípio é que Deus criou a mulher para o homem e vice-versa, portanto condenava-se a prática sodomita (cidade a qual, junto com Gomorra, foi destruída por DEUS por causa de práticas como essa). A questão homossexual na bíblia é tida como contra a lei moral. As leis cerimoniais apontavam para Cristo, davam esperança e fé àquelas pessoas a fim de mostrar que haveria de vir um Redentor, no qual iria derramar o Seu sangue de uma vez por todas (e por isso não há mais derramamento de sangue). Quando Cristo concretizou isto, tais leis cessaram, mas o princípio continua. Tanto que celebramos a Santa Ceia (ordenança expressa de Jesus) para lembrar do sangue derramado de Cristo (assim como no VT, por exemplo, imolavam o cordeiro, apontando para Aquele que ia de chegar). A questão da homossexualidade, tanto no antigo quanto no novo testamentos, é o princípio disso: Deus criou homem e mulher, como enfatiza o apóstolo Paulo. Princípio este que permanece, e não há nada na Bíblia que indique que isto terminou.
    Jesus não falou nada sobre a pedofilia, zoofilia, necrofilia, nem diretamente sobre prostituição ou mesmo homossexualidade, nem por isso é contraditório. Cristo veio ao mundo para cumprir com perfeição a Lei e morrer pelos seus, tais práticas que eu citei acima, já se sabia com clareza das suas pecaminosidades, portanto não se fazia necessário falar sobre isso; Ele deixou e instruiu pessoas pra falar sobre (e muito mais outras coisas). O Apóstolo Paulo não era Jesus, entretanto era um enviado dEle, escolhido por Ele. Assim como toda a bíblia, ele foi inspirado por Deus. E coube a Paulo falar sobre tais coisas, visto que tal prática na época de Paulo estava tão exacerbada, e já que ele dirigia uma carta aconselhando um povo específico, no caso, os romanos. Mas não era coisa nova, é uma prática antiga, combatida desde antes.
    Paulo foi um apóstolo de Cristo, foi aquele cujo ministério era, mais que os outros, difundir o cristianismo pelo mundo. Mas, mesmo você se denominando Cristão, se você quer escolher em que partes da bíblia quer acreditar e quer tirar a autoridade de Paulo como enviado de Deus, e quer apagar o antigo testamento da bíblia, eu vou ser obrigado a não considerar essa opinião. O apóstolo joão diz: "Eu testifico a todo aquele que ouvir as palavras da profecia deste livro: Se alguém lhes acrescentar alguma coisa, Deus lhe acrescentará as pragas que estão escritas neste livro;
    e se alguém tirar qualquer coisa das palavras do livro desta profecia, Deus lhe tirará a sua parte da árvore da vida, e da cidade santa, que estão descritas neste livro. Aquele que testifica estas coisas diz: Certamente cedo venho. Amém; vem, Senhor Jesus." Apocalipse 22:18-20.

  19. Filipe Almeida Responder

    (continuação)

    Paulo não está dando opiniões, ele se utiliza de preceitos bíblicos pra combater aquelas práticas.De princípios morais.

    O própiro Jesus diz em João 5:39 "Examinais as Escrituras, porque julgais ter nelas a vida eterna; e são elas que dão testemunho de mim" e logo adiante afirma "Não penseis que eu vos hei de acusar perante o Pai. Há um que vos acusa, Moisés, em quem vós esperais. Pois se crêsseis em Moisés, creríeis em mim; porque de mim ele escreveu." João 5:45-46
    Ou seja, as escrituras, o antigo testamento e as cartas de Paulo inclusive, testificam de Cristo, e apontam o que é certo ou errado, o que é de Deus e o que é pecado. E se você é Cristão, deve crer nas escrituras, pois são a palavra de Deus.
    Deus é amor, mas Deus é justiça!Deus é amor, mas abomina o pecado. Cristo não falou sobre homossexualidade, pela irrelevância disso, já que é tão óbvio o pecado nisso (como o próprio Paulo cita e como é citado por “Moisés”). Cristo veio para cumprir a lei, e esta testifica dele. Se você crê em Cristo, crê na lei, é impossível assim não o ser. Paulo não dá opiniões acerca disso, assim como as leis do antigo testamento não estão baseadas no 'nada', porque as leis morais permanecem. Os que não se arrependem dos seus pecados vão pro inferno. Deus é soberano, mas o homem é responsável pelas suas más condutas, e pagará por isso caso não se arrependa. Deus é amor, mas não se esqueça de que Ele também criou o inferno. Quem determina o que é bom ou mau é ele, e não nós. Mas como? Através de sua palavra. Portanto, nada revoga o que Paulo diz, ou o que o velho testamento diz. Do contrário, o próprio Deus destruiu uma cidade por conta desse mal. E o próprio Jesus retifica o que ja havia sido dito e o que haveria de ser dito. Não falamos isso para o mal das pessoas, mas pra que elas se arrependam disso. Somos todos pecadores. A promiscuidade está entre heteros e homos. Todos nascem em pecado e propensos a fazê-los, e pecamos quando cometemos, independente de termos nascido assim ou não. Graças ao próprio Deus Ele é soberano, misericordioso e gracioso, mas saiba que nem todos serão salvos, na verdade nenhum de nós merecia a salvação, mas aprouve a Ele conceder a alguns.
    Quanto ao pecado da homossexualidade… Por exemplo, qual é o mal que fazemos em não ir à Igreja? Aparentemente nenhum. Mas nem por isso deixa de ser pecado. Qual é o mal em cobiçar a mulher de alguém (sem mesmo que se consuma o ato)? Aparentemente nenhum, não fazemos nada a ninguém. Mas o pecado não se define por isso. Pecado é tudo que vai contra a vontade expressa de Deus. E nestes casos estão, assim como a homossexualidade! O amor de Deus é infinito, mas lembre-se que amor inclui castigo, justiça e punição a aqueles que não o amam. E quem não o obedece, não o ama. E se isso é pecado, por amor a Ele mesmo e a sua justiça, Deus condenará.
    Que Deus nos perdoe e nos abençoe!

  20. Anonymous Responder

    Olá tudo bem?
    Bom, tenho que admitir que você é bom argumentador, só precisamos saber se seus argumentos não conflitem com os fatos reais.
    Resumirei um pouco da minha história, sou cristão e entreguei minha vida a cristo desde que me conheço por gente, eu levava meus pais à igreja, sempre acidou e dedicado, porém sempre tive comigo que eu era diferente dos outros meninos (não sentia interesses por garotas e sim aos garotos), nunca fui afeminado então ninguém desconfiava de mim.

    Então posso dizer que eu era um homossexual e tinha comunhão com cristo, rebatendo o que você disse. Hoje com 28 anos tenho uma mente mais apurada para o que acontece, creio que todos aqui sabem que sempre existiu Homossexuais, Bissexuais e os Heterossexuais.

    Colocando o caso da Daniela em questão, acredito que ela se casou com seus maridos em uma época onde ser homossexual não era tão aceito como nos dias atuais e podendo ela se enquadrar como sendo bissexual, podendo viver com um homem.

    É difícil para um nós cristão lidar com esse fato, para muitos (os mais conservadores) é novidade, mas eu faço um apelo, tente se por no lugar das pessoas, Cristo fazia muito isso, julgar é fácil, é comodo. Em falar em Cristo, não vejo em nenhum momento Jesus se opondo a tal prática, já li texto em que tentam retraduzir passagens, balela. A bíblia não deve ser manipulada ao seu bem entender e homens (até mesmo os que se dizem portador da palavra de Deus, pode ser influenciado por suas próprias vontades e escrever o que lhe convêm no momento).

    Obrigado pela atenção, estarei disponível para debate se quiserem (não quis contar todos os fatos da minha vida para não me alongar).

    (John F.)

  21. Rev. Ageu Magalhães Responder

    Caro John F., em primeiro lugar, obrigado pela visita. Você é muito bem-vindo aqui.

    De fato, é impossível compreender plenamente o próximo sem estar na pele dele. Neste sentido, há uma grande limitação em cada um de nós. Ninguém pode conhecer a ninguém em profundidade. Não posso entender um traficante, porque eu nunca fui um. Não posso entender uma mulher solitária, porque não sou mulher. Esta impossibilidade só não é absoluta, porque sendo nós todos seres humanos, temos semelhanças. Nossas emoções não são totalmente diversas. Conhecemos muito do outro na medida em que nos conhecemos. Assim, eu posso entender o que é tristeza, o que é solidão, o que é discriminação porque, em maior ou menor intensidade, sendo ser humano, já passei por isso.

    Eu não diria, portanto, que é impossível entender as lutas de um homossexual, pois muitos dos sentimentos que ele tem, é possível já tenhamos tido. Quanto ao desejo específico pelo mesmo sexo, possivelmente um hétero possa nunca tê-lo tido, todavia, o coração tendencioso ao pecado, que cada um de nós tem, alimenta malícia, lascívia e a prática homossexual não é impossível neste sentido.

    A limitação de conhecimento que falei, todavia, é bastante quebrada quando entendemos que temos um Criador em comum e que, conhecendo o Criador, conhecemos as criaturas. Desta forma, conhecendo aquilo que o Criador nos revelou em sua Palavra podemos conhecer com mais propriedade aqueles aspectos do próximo, os quais não conhecemos por experiência. Assim, eu não preciso ter a experiência homossexual para saber que é equivocada. Deus me diz isso em sua Palavra (por favor, não considere isso como ofensa). Os textos bíblicos, a começar do Gênesis, indicando o padrão macho e fêmea, passando pelas condenações de Levíticos e culminando em Romanos 2 nos dão mostras evidentes sobre o tema.

    A grande questão talvez seja: como pode ser errado se eu era menino e já sentia atração por meninos (como você relatou). Creio que a chave é entendermos que crianças não nascem puras ou santas. A Bíblia mostra que crianças já nascem pecadoras (e todo pai e mãe descobre isso da pior forma…), de modo que, na medida em que uma criança se desenvolve os seus pecados vão se desenvolvendo também. Algumas crianças tem grande tendência à mentira, outras à rebeldia. Não é incomum encontrarmos alguma criança com maldade no coração, já nos primeiros anos de vida. De forma que é bastante plausível termos homens e mulheres com desejos homossexuais já na infância. O ponto é: o que a Bíblia nos orienta com relação ao pecado, seja em que idade for? A orientação é para que seja resistido. Para que não seja alimentado, mas combatido.

    A argumentação de que Jesus nunca falou sobre homossexuais creio que já foi falada no texto do Filipe (acima), e este tem sido um argumento recorrente. Parece, salvo melhor juízo, que a lógica é mais ou menos esta: O Antigo Testamento condena a prática… Os escritos de Paulo também… Jesus não falou nada sobre isso?! Vamos nos agarrar nele e anatemizar o restante!! Parece lógico, mas é equivocado. Toda a Bíblia é palavra de Jesus. Ele é o Verbo Eterno de Deus (Jo 1). Ele estava no princípio do mundo e, mesmo antes da encarnação, falava por meio dos profetas. De forma que a Bíblia tem apenas um autor – Jesus Cristo – e cerca de 40 escritores. O Moisés que escreveu Levítico falava em nome de Cristo. O Paulo que escreveu Romanos, escreveu inspirado por Cristo. Ele é o Alfa e o Ômega, o princípio e o fim. Dele, por ele, e para ele, são todas as coisas (Rm 11).

    Assim, meu caro, minha oração é que você repense sua prática homossexual. A vida com Cristo é de luta mesmo. Aqueles que tem tentações heterossexuais passam a vida inteira lutando contra elas. Mas há esperança. Nos ensina Jesus, por meio de Paulo, "andai no Espírito e jamais satisfareis à concupiscência da carne…" Gl 5.16.

    Um forte abraço e que Deus lhe dê entendimento sobre tudo isso.

  22. Ricardo Bonchristiani F. Responder

    Caro Filipe Almeida, comento seus comentários, em relação ao meu texto inicial:

    – “A "Lei Divina" que você chama, que supostamente não deve estar postulada no Velho Testamento ou nas "opiniões" de Paulo, continua a ser a Palavra de Deus (pra quem se denomina Cristão, claro)” –
    Para mim, Palavra de Deus é Jesus, o Verbo. Se tirar Ele, é só escritura, história, sem poder. Paulo não escrevia pensando em suas cartas como a próxima bíblia, junto a Isaías etc., ou como Palavra de Deus como você coloca. O que ele fazia era testificar Jesus, “o mistério outrora oculto e agora revelado”, “Cristo em nós a esperança da glória”, o resto era coisa ligada ao momento histórico, visão dele de bom senso, organização, baseada no que ele viu de Jesus, mas não como revelação de Deus, do tipo “assim diz o Senhor…”. Negar o fator personalidade de Paulo em seus textos é querer que ele seja perfeito, como Jesus.

    – “É certo que o modo no qual Deus opera se faz de diferentes formas ao longo da história; mas o Deus do antigo testamento é o mesmo do novo, que é o mesmo hoje. Deus é imutável” – Tudo em relação a Ele pode ser imutável, até que ele mesmo revogue.

    – “Os tempos mudaram, mas o princípio delas é o mesmo, tanto assassinar, quanto não guardar o "sábado" (que veio a se tornar domingo), quanto a homossexualidade, estão igualmente eradas, a diferença é a sanção de tais crimes, que já não são de ordem civis.” – De fato, princípios dos 10 mandamentos (que vc citou) seguem válidos. Mas você inclui a lei contra homossexuais no mesmo patamar dos 10 mandamentos. Na verdade, não está. Nas outras leis, que são as que de fato citam homossexuais, também mandam que não se pode ver sua mulher nua enquanto ela estiver “imunda”. Por que esse princípio não está tão válido assim como estaria o dos homossexuais? Conveniência? Ora, são versículos vizinhos. Para mim, nada dessa Lei está válido porque estamos no tempo da Graça, e a lei da graça é o amor.

    – “A questão homossexual na bíblia é tida como contra a lei moral”. –
    Acho que a lei moral, em Cristo, vira lei de obediência em amor. O legalismo moral/religioso morre. Pode-se discordar disso exatamente em nome da moral (que aliás muda de região pra região, de época em época), mas não em nome do evangelho.

    – “Quando Cristo concretizou isto, tais leis cessaram, mas o princípio continua. Tanto que celebramos a Santa Ceia (ordenança expressa de Jesus)” – Dizer que a ordem para celebrar Santa Ceia é a mesma coisa que decretar homossexualismo como pecado por causa do “princípio” da lei, é comparar coisas diferentes. Santa Ceia celebra a redenção. A lei contra homossexuais, assim como a lei da menstruada, da mentira, dos animais impuros, etc. estão todas sob a dispensação da Graça, e a partir dela é preciso renovar o entendimento das coisas, em amor.

    Segue…

  23. Ricardo Bonchristiani F. Responder

    Continuação..

    -“ Jesus não falou nada sobre a pedofilia, zoofilia, necrofilia, nem diretamente sobre prostituição ou mesmo homossexualidade, nem por isso é contraditório. Cristo veio ao mundo para cumprir com perfeição a Lei e morrer pelos seus” – Jesus não precisaria mesmo ter especificado coisa por coisa. A questão é incluir homoafetividade na mesma lista que necrofilia, zoofilia… Para mim, coisas incomparáveis, ainda que anomalias. Não sou gay, mas quem nasce e sente assim (amor – e não perversão – por alguém do mesmo sexo), não pode ser equiparado de maneira absurda a quem tem tara por transar com cadáveres.

    – “Ele deixou e instruiu pessoas pra falar sobre (e muito mais outras coisas). O Apóstolo Paulo não era Jesus, entretanto era um enviado dEle, escolhido por Ele. Assim como toda a bíblia, ele foi inspirado por Deus” – Verdade. Jesus deixou e instruiu a todos os que crerem, a pregarem o evangelho de amor, segundo a Graça no Espírito. Jesus enviou e escolheu Paulo, assim como enviou e escolheu ao Rev. Ageu Magalhães, você, e a muitos outros. As palavras de Paulo não têm mais poder do que a de qualquer um nascido de novo. Se considerar assim, então não é mais trindade, é um quarteto: Deus Pai, Deus Filho, Deus Espírito Santo, Deus Paulo. Assim como o chamado de Paulo é arrebatador, milhares de outros também são, e nem por isso são menos inspirados. Há muitos outros Paulos por aí, ou até maiores que ele, e que nunca serão conhecidos. Deus sabe deles.

    -“E coube a Paulo falar sobre tais coisas, visto que tal prática na época de Paulo estava tão exacerbada, e já que ele dirigia uma carta aconselhando um povo específico, no caso, os romanos. Mas não era coisa nova, é uma prática antiga, combatida desde antes” – Homossexualidade nunca esteve mais ou menos exacerbada em épocas. No máximo, mais ou menos aceitas publicamente, segundo a moral e cultura do lugar e época. No entanto, isso sempre esteve e estará lá, já que os que nascem assim, sempre nascerão. O que muda é se isto é reprimido, gerando suicídios, culpa, angústia, tormento psicológico etc.

    “Paulo foi um apóstolo de Cristo, foi aquele cujo ministério era, mais que os outros, difundir o cristianismo pelo mundo. Mas, mesmo você se denominando Cristão, se você quer escolher em que partes da bíblia quer acreditar e quer tirar a autoridade de Paulo como enviado de Deus..” – O título de apóstolo pode ser dado a qualquer enviado a pregar. Você pode ser apóstolo no seu trabalho, na sua casa. Apóstolo é do grego “enviado”, e só isso, e claro, se aplica a mensageiro do evangelho. Na bíblia, são os 12 enviados, mas também Andrônico e Junias foram chamados de apóstolos por Paulo, e nem por isso são “endeusados” hoje em dia. Não tem nenhuma parte da bíblia na qual não acredito. Apenas busco dar o peso correto para as coisas nela escritas. Minha fé não é acreditar na bíblia, mas sim no evangelho de Jesus vivo, testificado pelo Espírito Consolador aqui na Terra.

    – "Quer apagar o antigo testamento da bíblia, eu vou ser obrigado a não considerar essa opinião” – Em nenhum momento disse que queria apagar o VT, apenas não vivo segundo a Lei lá escrita. Vivo segundo o Novo, na Nova Aliança.

    – “O apóstolo joão diz: "Eu testifico a todo aquele que ouvir as palavras da profecia deste livro: Se alguém lhes acrescentar alguma coisa, Deus lhe acrescentará as pragas que estão escritas neste livro; e se alguém tirar qualquer coisa das palavras do livro desta profecia, Deus lhe tirará a sua parte da árvore da vida, e da cidade santa, que estão descritas neste livro. Aquele que testifica estas coisas diz: Certamente cedo venho. Amém; vem, Senhor Jesus." Apocalipse “ – João está certíssimo. Ele claramente se refere às profecias que ele acabara de escrever, e se tornou o Apocalipse. Na época dele o cânon da bíblia de hoje estava a séculos de ser definido.

    Caros, obrigado pela atenção!

    Sei que esses textos longos podem ser chatos, mas quando o assunto rende, é assim mesmo. Importe que o amor esteja em todos.

    Abs

  24. Ricardo Bonchristiani F. Responder

    Continuando (o chato) srsrs

    – “Paulo não está dando opiniões, ele se utiliza de preceitos bíblicos pra combater aquelas práticas.De princípios morais.” – Princípios morais mudam com o tempo e com o lugar. No VT, era imoral ver sua mulher enquanto ela estivesse “imunda”. Você ainda segue isso? Se quiser classificar homossexualidade como pecado, é exatamente moralidade, não evangelho.

    – “O própiro Jesus diz em João 5:39 "Examinais as Escrituras, porque julgais ter nelas a vida eterna; e são elas que dão testemunho de mim"” – As escrituras na época de Jesus era o VT, que realmente dá testemunho acerca do Messias que viria, Jesus mesmo.

    – "Não penseis que eu vos hei de acusar perante o Pai. Há um que vos acusa, Moisés, em quem vós esperais. Pois se crêsseis em Moisés, creríeis em mim; porque de mim ele escreveu." – Sim. As Leis Cerimoniais de Moisés apontavam para Cristo. Normal.

    – “Ou seja, as escrituras, o antigo testamento e as cartas de Paulo inclusive, testificam de Cristo, e apontam o que é certo ou errado, o que é de Deus e o que é pecado. E se você é Cristão, deve crer nas escrituras, pois são a palavra de Deus.” – Aqui você misturou Paulo com Moisés, Antiga Aliança com Nova Aliança. Coloca Paulo apontando o que é certo e errado, o que é ou não pecado, como se fosse Deus. Creio na obra da cruz, que nos deu Graça. “Está consumado”. Quem convence sobre o que é ou não pecado não é Paulo, Moisés ou Jesus, é o Espírito Santo. E o Espírito é como o vento . Sou cristão porque creio que Cristo existiu, morreu por mim e ressuscitou, e não porque creio na “Palavra de Deus” nesse contexto
    legalista.

    – “Deus é amor, mas Deus é justiça!Deus é amor, mas abomina o pecado. Cristo não falou sobre homossexualidade, pela irrelevância disso, já que é tão óbvio o pecado nisso (como o próprio Paulo cita e como é citado por “Moisés”). Cristo veio para cumprir a lei, e esta testifica dele. Se você crê em Cristo, crê na lei, é impossível assim não o ser” – Cristo veio ser o cordeiro definitivo da Lei. Cumprir a Lei seria apedrejar a mulher dos vários maridos.

    – “Quem determina o que é bom ou mau é ele, e não nós. Mas como? Através de sua palavra. Portanto, nada revoga o que Paulo diz, ou o que o velho testamento diz. Do contrário, o próprio Deus destruiu uma cidade por conta desse mal” – Nessa lógica, por que ele não destrói a Terra hoje? Os mesmos pecados de Sodoma são vistos hoje. Oras, se nada revoga a chamada “Palavra de Deus”, devíamos estar mortos. Mas, graças a Ele mesmo, estamos sob o jugo da Graça, e não da Lei e da "moral", senão estaríamos fulminados.

    – “Quanto ao pecado da homossexualidade… Por exemplo, qual é o mal que fazemos em não ir à Igreja? Aparentemente nenhum. Mas nem por isso deixa de ser pecado.” – Discordo. Não se “vai à igreja”. A igreja não é uma casinha com bancos. Jesus nunca fez uma casinha e colocou a placa “Igreja de Jesus”. Igreja são pessoas renascidas da água e do espírito. Onde estão dois ou três renascidos ali está Jesus, ali está uma igreja. A “igreja” (instituição) é morta, mas o evangelho segue vivo nas pessoas, inclusive algumas em igrejas, mas também em outras que nunca pisaram nelas.

    -“ Deus é infinito, mas lembre-se que amor inclui castigo, justiça e punição a aqueles que não o amam” – Deus não castiga, se o fizesse estávamos todos mortos. Castigo é relação de causa e efeito. Por essa relação, o sermão do monte seria uma sentença de morte, pois ele inverte os princípios. Ele faz chuva cair sobre justos e injustos. Ir à igreja só é bom se de fato estiver sendo bom, mas se for para não “pecar”, não faz sentido. É auto-engano.

    – “E quem não o obedece, não o ama. E se isso é pecado, por amor a Ele mesmo e a sua justiça, Deus condenará –“ Prefiro saber que estando em Cristo, não há mais condenação.

    Que Deus nos perdoe e nos abençoe!

  25. Filipe Fontes Responder

    Caro Ricardo,
    Em sua primeira postagem você utiliza o argumento de que o comportamento homossexual é individual e, portanto, não prejudica ao próximo como a mentira, por exemplo…

    Permita-me questionar seu argumento. Na verdade, sua premissa não é verdadeira. Nenhum ato é meramente individual, pois todo ato, ainda que individual, reforça a insitucionalização de um determinado comportamento. Logo, todo ato individual é também um ato social. Por isso, seu argumento não procede.

    Na prática, meu filho é que será educado numa sociedade que naturaliza a prática homossexual. Portanto, me prejudica sim senhor…

    Filipe Fontes

  26. Lucas Lima Responder

    Olá Ricardo Bonchristiani F.!Graça e Paz!

    confesso que passei por um acaso nesse blog e vi um dos seus comentários e senti vontade de ajudar a sanar as suas dúvidas.

    Se bem eu entendi, você possui dúvidas quanto a doutrina da inspiração bíblica, já que, afirma que a palavra do apóstolo Paulo não é totalmente confiável, pois não é totalmente verdadeira em razão da sua natureza humana, correto?

    O problema desse ponto de vista é a criação de um cânon dentro do próprio cânon, uma vez que, agora, é necessário desvendar na bíblia o que é palavra de Deus e o que não é. A bíblia,nesse esquema apresentado por você, é seletiva.

    Então,utilizando sua forma de pensar, a palavra de Paulo não pode ser considerada divina em sua totalidade, apenas a palavra de Jesus, correto? Sabendo disso, eu te pergunto, o que fazer quanto os evangelhos de Mateus, Marcos, Lucas e João? São confiáveis? não são eles também homens? porventura eles não poderiam ter se enganado quanto a palavra e obra de Cristo? e quanto ao restante da bíblia?, ela realmente expressa a vontade de Deus? Veja, em sua totalidade foi escrita por homens.

    O que estou querendo dizer querido, é que só tem sentido acreditar na palavra de Cristo se você também crer na palavra do apostolo Paulo, como palavra inspirada diretamente por Deus, caso contrário, você ficará se perguntando sobre a veracidade da palavra de Mateus, Marcos, Lucas e João a respeito de Cristo. Lembrando que desde cedo na história da igreja primitiva, a comunidade cristã reconhece os escritos do apostolo Paulo como verdadeiros, sem dizer que, Lucas foi companheiro missionario de Paulo, Pedro e os demais discípulos reconheciam a autoridade de Paulo.

    Por último, afirmo que é impossível separar Deus de sua palavra, pois, tudo que sabemos a respeito dEle, provém unicamente e exclusivamente de sua palavra, caso contrário, como conhecer o verdadeiro Deus?

    Concluindo irmão, só há sentido no cristianismo se toda a palavra de Deus for palavra inspirada por Ele, portanto, toda a palavra é verdadeira.

    Tendo em vista isso, o que o apostolo Paulo afirma sobre o homossexualismo, não é mera opinião, concorda?

    ps. você cometeu inúmeros outros equívocos doutrinários, mas decidi apenas focar nesse.

  27. MANOEL PEREIRA R. DA SILVA Responder

    Ricardo Bonchristiani F. , não me entenda mal, por gentileza:
    Você realmente crê em tudo o que você postou até agora?
    Imagine que, se tudo o que cremos e pregamos até agora não for realmente a verdade, se a "graça" for tão "de graça" mesmo, o que estaríamos perdendo? Creio que nada, pois em tudo procuramos honrar a Deus. Mas, se por outro lado, tudo o que pregamos for verdade, se o pecado realmente é condenado por Deus, o que será daqueles que não levaram isso a sério?
    A lógica nos leva a entender que, na dúvida, é melhor ficar com o que é mais seguro.
    Com isso não estou sendo pragmático, pois creio na Bíblia como Palavra de Deus divinamente inspirada, inerrante e suficiente para nos revelar a vontade de Deus.
    Referente à sua rejeição pela Lei, de maneira geral, é um equívoco divorciarmos Lei e Graça na Bíblia. Não há possibilidade de anularmos a graça no "período da Lei", nem anular a Lei no "período da graça". Esses dois sempre estiveram juntos. A Lei sempre foi amparada pela graça de Deus, bem como a Graça. Você acredita que houve salvação nos tempos do Antigo Testamento? Se sua resposta é sim, como poderemos entender o período da Graça que nos diz que ninguém é salvo pelas obras da Lei, mas unicamente da Graça?
    Mano, a Lei era apenas uma sombra de Cristo que na sua encarnação foi manifestada de maneira plena. O fato de ter se tornado um de nós não anula sua obra eterna. A graça já operava abundantemente nos tempos de Moisés, sobretudo antes dele.

    Manoel

  28. Ricardo Bonchristiani F. Responder

    Olá Lucas,

    Concordo que a bíblia seja toda inspirada por Deus. Mas o que é inspiração? Segundo o dicionário, é sugestão, insinuação, conselho. Não é uma entrevista gravada com Deus, uma transcrição literal, mas algo em que se basear. Inspirada a bíblia é, e nada além isso. Eu não disse que as palavras de Paulo não são totalmente confiáveis, como se ele fosse algum mentiroso. O que disse é que são apenas as palavras de Paulo, e só, pois se for pra considerar o que ele diz além do que apenas palavras de Paulo, então tenho que promovê-lo a uma divindade, ou a santo “São” Paulo, como os católicos fazem e, veladamente, muitos protestantes também. Mas, pra mim, e nem pra ele, ele não é santo, e não tem a procuração de Deus para representá-lo na Terra. Ele é apenas mais uma testemunha de Jesus, como tantos outros. Não quero ser discípulo de Moisés, Paulo, só de Jesus, de quem todos esses dão testemunho.

    Não vejo como uma postura seletiva da bíblia. Pra mim ela é Palavra, mas apenas porque mostra que Jesus existe, é Deus, e todos somos pecadores.

    Você disse: “utilizando sua forma de pensar, a palavra de Paulo não pode ser considerada divina em sua totalidade, apenas a palavra de Jesus, correto? Sabendo disso, eu te pergunto, o que fazer quanto os evangelhos de Mateus, Marcos, Lucas e João? São confiáveis?”. Para mim, no que se refere à mensagem do evangelho, são absolutamente confiáveis. Claro que podem se enganar sobre o que viram, como há diversas situações vividas por Jesus narradas por um e não por outro. Narraram coisas diferentes sobre o mesmo fato. Mas nada disso torna mentira a espinha dorsal do que todos dizem em uníssono: Jesus morreu na cruz por todos e, agora, todo aquele que nEle crer será salvo. E aí, não os discípulos que precisam ser confiáveis, mas apenas Jesus, que se comprometeu com a humanidade.

    Aliás, em nenhum momento eles ficam tentando provar a verdade de Jesus em razão da bíblia ser “sagrada”, exceto para os judeus que gostavam de prestar culto ao livro, mesmo assim para libertá-los em Jesus. Aliás, eles mesmos não dizem que Jesus ficou defendendo a santidade ou divindade de textos, apenas disse: “são as Escrituras que testificam de mim…” ou “..mostrou o que a Seu respeito constava em todas as Escrituras..”. Apenas testemunho. E isso pode ser feito por qualquer testemunha, sem que a própria testemunha seja especial. “Até destas pedras pode Deus suscitar filhos a Abraão”.

    Claro que Paulo é verdadeiro. Mas o Evangelho (a mensagem) não é sobre Paulo, não é ele que me interessa, e sim Jesus Filho de Deus, a Boa Nova, a Cruz, a salvação pelo sangue. Dou graças a Deus por Paulo e os apóstolos estarem lá pra escrever sobre Jesus. O resto, incluindo a opinião sobre homossexuais, é detalhe, dicas, comentários que não mudarão essa linda e chocante realidade.

    Você diz que “tudo que sabemos a respeito dEle, provém unicamente e exclusivamente de sua palavra, caso contrário, como conhecer o verdadeiro Deus?” Quanto a isso, a própria bíblia mostra que ela não é única fonte sobre Deus. Quando Abraao foi chamado por Deus para ir à Terra Prometida, ele cruzou com Melquisedeque, rei de Salém, e Melquisedeque é citado como “sacerdote do Altíssimo”, e ele abençoou Abraão, e Abraão aceitou a benção como oriunda do mesmo Deus ao qual ele servia. Ou seja, Melsquisedeque já era sacerdote de Deus antes de existir a bíblia, pastores, 10 mandamentos, profetas e tudo o mais. Logo, a bíblia não é a única e nem a principal testemunha. O Espírito de Deus é quem dá testemunho sobre Deus, de suas próprias formas, no coração humano. Coisa de Deus.

    Quanto aos “inúmeros outros equívocos doutrinários” que cometi, digo que doutrinas são ensinos sistematizados. Pelo testemunho sobre Jesus, ele nunca deixou um ensino sistematizado, quem sistematizou Jesus foram os religiosos depois de Constantino. Em Jesus não tem lógica linear de doutrina, tem sim é fé, que atropela todas as lógicas. Temos que experimentar antes de saber o final.

    Enfim. obrigado por ter respondido e comentado meus comentários. Abs!

  29. Ferreira Neto Responder

    Não conheço a vida da cantora, mas acho que o segundo parágrafo do texto compromete sua credibilidade.
    O texto diz:

    "A questão é: Se Daniela Mercury nasceu homossexual, por que insistiu tanto na heterossexualidade, vivendo durante 15 anos com homens? Teria ela agido contra a própria natureza, violentando seus desejos homossexuais e submetendo-se a uma união infeliz? Certamente não."

    Ora, sabendo que o homossexualismo (ou homossexualidade) foi muito reprimida nos anos passados, é completamente aceitável que uma pessoa que preferisse namorar pessoas do mesmo sexo se forçasse a um relacionamento "convencional". São incontáveis os casos onde isso efetivamente aconteceu.
    Ao concluir, de forma não embasada, que a cantora "certamente não" tentaria uma vida heterossexual "normal", dentro dos padrões sociais da época, o autor desqualifica seu próprio comentário.

  30. folton nogueira Responder

    Muito bom Ageu. Muito bom! Que Deus continue a te sustentar.

    Há, entretanto um aspecto que, não sei se é o caso da cantora em questão, mas já o vi em muitos homossexuais: declarar-se homossexual apenas para contar com a admiração (ou o choque) de quem o rodeia.

    É aquele velho pecado que acontece em quem gosta de pedir perdão em público. Pessoas que são capazes de confessar tudo desde que sejam o centro das atenções e continuem sendo.

    abraços
    Fôlton

  31. Anonymous Responder

    Apesar dos mmomentos mais acalorados, todos estão de parabéns em suas colocações. O nível de respeito e conhecimento de todos que deixaram seus comentários aqui, me deixa muito feliz. Saber que existe um espaço com pessoas que pensam e falam coisas que edificam e nos fazem refletir de maneira crítica e analítica sobre a realidade desse mundo podre que vivemos é, no mínimo, reconfortante. Que Deus continue falando aos nossos corações. Graça e paz de Nosso Senhor Jesus Cristo para todos.
    Shalom aleikhem

    Julio C F Reis

  32. Hely Oliveira Responder

    Excelente reflexão sobre um tema que já trouxe muitos embates de opiniões. Em resumo, creio que nunca se chegará a um acordo. Há aqueles que não creem na bíblia como palavra de Deus, como única regra de fé e prática e, por isso, defendem a chamada "opção sexual". Não entendem que relações sexuais entre homem/homem e mulher/mulher é pecado e ponto final. Há aqueles que ficam em cima do muro e querem minimizar a situação como por exemplo: invocar a grandeza do amor de Deus e deixar a coisa como está. Finalmente, há aqueles que concordam plenamente com a bíblia e vêm nessa prática um ato pecaminoso como qualquer outro pecado que precisa ser combatido. Estou filiado a esta última corrente. Creio na bíblia e ela diz que homoxessualismo é pecado.

  33. Joubert, pr. Responder

    Amados,
    Gostaria de acrescentar um pensamento.
    Muitos querem justificar a prática homossexual afirmando ser uma ação que tem por base o amor e a afeição ao próximo e, por essa razão, não deveria ser reprovada.
    Ora, podemos amar e ter afeições "puras" por algo reprovável e, nem por isso, estarmos justificados.
    Basta que pensemos nestas palavras de Jesus:

    E a condenação é esta: Que a luz veio ao mundo, e os homens amaram mais as trevas do que a luz, porque as suas obras eram más.
    João 3:19

    Havia amor? Sim, muito amor! Voltado para as trevas. Mesmo assim houve condenação…

    Abraço a todos

  34. Adão Responder

    Adalcir Nunes said… não sei quem foi o autor do invencionismo de que o sufixo "ismo", signfica doença ou patologia. Fosse este verdade, capitalismo, marxismo, imperialismo,catolicismo, cristianismo, budismo, hinduísmo, cavalheirismo, e muitos outros ismos seria doença. Há casos em que o sufixo é sim usado na nomenclatura de uma doença, botulismo, alcoolismo, mas paremos com esta bobagem de querem substituir homossexualismo por homossexualidade. No caso em questão o sufixo indica prática ou adesão a uma filosofia de vida, crença, postura social. E por fim, isto na muda nada…. a prática ou não sim. Não está no budismo, que não é budista, não deveria estar no catolicismo, que não é praticante. até pq, mesmo na causa em questão há os que não praticam homossexualismo, mas são simpatizantes da causa… Bem…até que……

  35. Ricardo Bonchristiani F. Responder

    Manoel Pereira,

    creio que a Graça realmente é de graça. Não paguei nada por ela e nunca teria como fazer isso, foi Jesus quem pagou e deixou pago para todos. E pra obtê-la, segundo João 3:16, só precisamos crer que ela existe e me salvou. A simplicidade chega a assustar. Você perguntou “se é tão de graça, o que estaríamos perdendo?”, pelo que entendi da pergunta, entendo que sem a Graça estaríamos perdendo a salvação e a vida em abundância aqui na Terra. Temos a tendência de achar que devemos fazer alguma coisa a mais pra merecer isso, seguir algum ritual, obedecer alguma Lei de pedra, ou à moral vigente, mas essa é a beleza do Evangelho.

    Pecados existem e Deus os condena, mas o perdão de Deus a nós pecadores é a essência da Graça dEle, essa mesma que é de graça. O arrependimento é Graça, pois é Deus quem nos conduz ao arrependimento, o Espírito quem nos convence do pecado. Depois de convencidos podemos nos arrepender, e vivenciar isso já é fruto do perdão de Deus. Ou seja, somente os que creem no perdão se arrependem. Isso aconteceu com Davi, que chegou pra Natã e falou “pequei contra o Senhor”, e Natã disse “Também o Senhor já perdoou o seu pecado”.

    Acho que a Graça dá toda essa tranquilidade, mas estimula aqueles que creem nela a viver sem pecar, mas não porque Deus condena, castiga, por causa da Lei, ou porque ele nos jogará num lago de fogo, afinal já cremos e estamos salvos. Mas sim porque teremos “vida em abundância” à medida em que temos mais consciência de que pecamos e nos desviamos do pecado.

    Reafirmo, não rejeito a Lei. A Lei implica em cometer um crime (pecar) e ser punido (condenação). Mas a frase é “não há nenhuma condenação para quem está em Cristo”, e não para “quem obedece a lei”. Ou seja, não sou eu quem “rejeitou”. O acordo de Deus para com os homens é que mudou. Estar em Cristo é estar sob a Graça, senão Cristo morreu em vão.

    Você disse que Lei e Graça sempre estiveram juntas. Concordo. Mas a Graça é superior à Lei, abrange tudo e todos (gentios). Portanto, a Graça sempre esteve lá. O Cordeiro já estava imolado desde a fundação do mundo. A Lei teve início e fim, se consumou, mas a Graça já atuava e segue atuando. A Lei estava contida na Graça, e não o contrário. Agora, a única Lei é a Graça. Não é a toa que o Velho Testamento é o Velho. Na Graça a obediência é gerada pelo descanso, e não o descanso pela obediência. O trabalho é descansar em Deus.

    Minha vontade é que aqueles que nascem homossexuais se percebam sob a Graça de Deus, descansem em Deus, no amor. Nascer assim não é “propensão” ao homossexualismo, do mesmo jeito que quem nasce hetero não é “propenso” a hetero. Simplesmente é. Na Lei se condena homossexualismo assim como mil outras coisas, tudo no mesmo contexto.O que Paulo fala aos romanos, não pode ser aplicado no contexto de quem nasce homossexual, mas para quem quer o “homossexualismo” pela orgia, bacanal (Baco), um estilo Sodoma da sociedade romana. Absurdo misturar as coisas e colocar nesse balaio uma pessoa que quer só uma relação de afeto com alguém do mesmo sexo, por ter nascido com essa constituição. É mais do que sexo. Dizer que eles devem mudar é como dizer aos heteros que devem mudar. Qual conseguiria? Taxar isso de pecado e ponto final é absolutamente cruel, sem amor, hipócrita, cômodo, e baseado numa leitura superficial da bíblia.

    Nascer gay é anômalo, mas não errado moralmente. Ter lepra já foi considerado imoral, até que se entendeu que era uma “anomalia”. Ser cego também. “Quem pecou para que ele seja cego?”, perguntaram. E o que Jesus responde é que se trata de coisas individuais, particularidades, não fez uma doutrina pra isso. Ele dizia “naquele caso”.. aquilo tinha um propósito para a pessoa, e não para todos, a sociedade, como regra. Jesus sempre fez isso, caso a caso, situação por situação. Nascer com Síndrome de Down ou desordens genéticas é igual, só não choca tanto pq não atinge a área sexual, que é um tabu pra igreja. Mas deveria ser normal, pois estamos num mundo que não é perfeito, é caído, coisas fora do normal e sem explicação acontecem.

    Abs!

  36. Lucas Lima Responder

    Olá Ricardo Bonchristiani F.,

    1) bom você aqui afirma:

    "Para mim, no que se refere à mensagem do evangelho, são absolutamente confiáveis"

    aqui está, a meu ver, o seu erro. Você utiliza dois pesos e duas medidas para analisar a bíblia. Por que você acha que os evangelhos são confiáveis? e por que você acha que os demais preceitos não o são, são meras dicas ou opiniões? acho essa posição bastante temerária, uma vez que, você acaba selecionando critérios diversos para basear a sua fé.

    2) Concordo que Deus se manifestou de diversas maneiras pela história, inclusive pela revelação individual, sem utilizar a palavra escrita, como nos casos em que você citou, mas isso não é regra, é exceção, a palavra de Deus sempre foi transmitida através das gerações, seja ela escrita, como temos hoje, seja ela transmitida de forma oral, como feita na congregação de Israel. Será que nosso Deus não é zeloso ao ponto de preservar seus próprios preceitos e impedir que homens incluam dicas e opiniões contrárias a sua vontade? Jesus mesmo testifica a importância das escrituras e não a revoga (cabe observações). A bíblia é sim a principal fonte da palavra de Deus, revelações individuais são exceções.

    3) você também escreveu, "quem sistematizou Jesus foram os religiosos depois de Constantino. Em Jesus não tem lógica linear de doutrina, tem sim é fé, que atropela todas as lógicas".

    Bom, as doutrinas cristãs não surgiram com Constantino ou após ele, mas com os próprios Apóstolos e com Cristo que nos revelou o "significado de ser" de todo o velho testamento, a sistematização é apenas a organização racional de todas essas ideias, tudo que for além das escrituras ou contrárias a ela deve ser descartado.

    Confesso que possuo certo receio quanto algumas afirmações do tipo a "fé não é lógica", ou "não precisamos da lógica", as vezes tais afirmações possuem um certo grau de anti-intelectualismo, e ao meu ver o pensamento racional e a lógica, é um dom belíssimo da humanidade e o que nos distingue do restante da criação, sem contar que precisamos dela para entender um conceito ou uma ideia. Então, não acho que Deus seja um ser ilógico, pelo contrário, sua lógica supera infinitamente a nossa lógica humana. Não acho que a sistematização de doutrinas ou da teologia seja prejudicial ao entendimento dos preceitos de Deus, mesmo que a sistematização esteja limitada pela nossa razão limitada.

    4) O perigo de se afirmar que o homossexual não precisa abandonar a sua prática pecaminosa é criar uma geração habituada ao pecado, e reincidência voluntária no pecado não gera arrependimento e sem arrependimento não há nascer de novo. Portanto, não acho que a graça é “tão de graça” como você diz, é necessário morrer o velho homem e isso inclui a natureza do velho homem. Vamos supor que o homossexualismo seja uma causa natural, isso em nada exime que o convertido abandone essa prática. Há alguns anos atrás li uma pesquisa que afirma que a poligamia masculina é natural (no sentido de que é da natureza/essência do homem), no entanto, isso não exime ao homem a fidelidade a sua esposa e a preservação de sua pureza antes do casamento, por mais antinatural isso possa parecer.

    A questão é que seguir Jesus é algo penoso, requer a desistência de nossos impulsos naturais, o arrependimento e a fé, caso contrário, de que valeria toda a palavra escrita e os esforços de homens piedosos até hoje?

    Bom, já me alonguei demais, um abraço.

  37. @alexandreneto Responder

    Caro Felipe (1:36 PM)(Eu imagino que deva voltar pra ler comentários)
    "E se eu sou é contra, devo fazer campanha ou trabalhar por leis pra que TODOS aceitem o fato de eu ser contra"?

  38. LMady Responder

    O que acontece é o contrário Alexandre:
    quem é Homossexual ou/e a favor é que querem que os outros "engulam" suas posições senão SÃO PROCESSADOS kkk…

  39. Marcus Vinícius Responder

    Esse assunto é complicado. Como já argumentaram: podem argumentar que ela nasceu bissexual, ou que ela sofreu pressões externas a vida inteira. Em qualquer uma é necessário conhecê-la para responder. Eu prefiro não trabalhar com exemplos reais pois são sempre manipuláveis. Eu prefiro é discutir conceitos, que inegavelmente precisam ser imutáveis, já que sem conceitos absolutos não existiria comunicação.
    Quanto ao Cristão, só digo uma coisa: Cuidado!! Com essa opinião você esta jogando mais de 4 mil anos de história. Não sei em que você acredita, mas existe um conceito, ou melhor, uma doutrina, que diz acerca da soberania de Deus. Se ele é soberano ele certamente não só permitiu como também decretou desde a eternidade que a Bíblia fosse escrita, e que através de longos concílios ela fosse organizada como é hoje. Ir além disso, ou seja, dizer que a Bíblia como ela é hoje não é a palavra de Deus tem várias repercussões, dentre elas: 1) Deus não é soberano, logo a bíblia foi feita sem o consentimento dEle, logo ele é apenas mais um "deus" grego com uma contextualização judaica. 2) Deus é soberano e permitiu que a bíblia fosse escrita, mas não como sua palavra, seria para enganar quem não fosse dEle ou qualquer coisa parecida.
    Em ambos os casos, sem contar com mais infinitos possíveis, o que se tem não é um Deus cristão. Não é o Deus por meio de quem Jesus foi enviado. Na primeira, esse tipo de "deus" nem teria poder pra enviar alguém, quanto mais salvar o mundo! Na segunda, temos um "deus" sádico e estúpido, já que ele teria feito milhares de pessoas se preocuparem com o Cânon e feito pessoas ao longo de quase 2 mil anos de história acreditar nesse livro, sendo que ele nem pode ser tido como verdade.
    Me perdoe meu caro, mas eu não vejo como um cristão pode se apoiar nisso. Me perdoe também porque, até onde eu me lembre, quem denomina se nós somos ou não cristãos é a Bíblia. Assim como quem define um muçulmano é o Corão. Se as definições fossem feitas a partir de nós mesmos, eu me definiria como um rico empresário Presidente da República. Mas não, as definições não partem de nós mesmos, mas de valores pré-estabelecidos. É claro, não precisamos estar confinados as definições, mas o conceito de se auto-definir é muito contraditório.

  40. Ricardo Bonchristiani F. Responder

    Caros,

    Confesso que aumentei o meu desânimo em relação aos "crentes". Só obtive respostas que parecem ter vindo da "Cartilha do Crente Ocidental Reformado Fundamentalista Adorador da Bíblia". Deveriam fundar a Igreja da Santa Bíblia Redentora, ou se juntar de vez ao Judaísmo.

    A bíblia, pra muitos aqui, é mais importante do que o amor. Me acusaram até de “invocar o amor de Deus e deixar as coisas como estão”, onde percebi uma vontade louca e reprimida para que Deus solte fogo dos céus e extermine os “pecadores” em sua ira. Típico de fariseu.

    Disseram que “tudo que sabemos de Deus provém unicamente da Palavra”, e desse jeito fazem Deus parecer um mero editor de mídia, que só passa sua mensagem por TV e rádio. Espírito Santo? Melquisideque? Anjos? Poder? Até mesmo a tão defendida “inspiração”? Ah.. isso é “exceção”, disseram aqui. Deus? Só, apenas, unicamente, pela “palavra (bíblia)”. Infelizes todas as milhares de gerações que vieram antes do Cânon ser formado… azar deles né? Foram todos pro inferno. Lamentável que Deus só conseguiu “fazer” a bíblia a partir de 3 mil anos prá cá.

    Ninguém me respondeu:

    – Quantas mentiras tenho que contar para não herdar o reino dos céus?

    – Quem disse que a bíblia é infalível se ela mesma se diz “inspirada e útil”?

    – Por que Paulo é incontestável se ele mesmo diz: examine tudo e retenha o que é bom? E “sou o maior dos pecadores?”

    – Disseram que ele é um “enviado”. Mas.. Ele é melhor que Pedro? Melhor que João? Como está o campeonato de discípulos “enviados”?

    – O que é pecado? Se Uzá, pra ajudar, encostou na Arca da Aliança e morreu, e Davi dançava na frente dela, comeu pão proibido e não morreu?

    – Por que Jesus não seguiu a “bíblia infalível” quando o Diabo usou ela: “Aos Seus anjos Ele dará ordens a teu respeito, para que te guardem”?

    – Por que a questão homossexual é “princípio moral” em Levíticos, e “leproso imundo” não é?

    – Era imoral ter lepra na época da bíblia. E hoje? Mudou? A moral muda?

    – Disseram que amor inclui justiça, punição e castigo. E a lei, inclui o que de diferente?

    – Teve até quem disse: “não ir à igreja é pecado”. Essa me doeu na alma…

    – Por que Jesus disse que: “nem todos estão aptos para esse entendimento” sobre eunucos?

    – Disseram que “cristão é quem acredita na bíblia”. Sim, mas deve acreditar porque ela mostra Jesus, que é uma pessoa/sobrenatural/Deus, não é a bíblia, a bíblia não é Jesus.

    É tão difícil entender que ela é uma ferramenta e não um fim? Jesus pode se apresentar a mim pela bíblia, mas nem todo mundo que tem a bíblia tem Jesus, e por que? Porque Jesus não é texto. Ele vive, fala conosco por meio do Espírito Santo. É espírito. É sobrenatural, não é texto. Sempre existiu, não é texto.

    Pra mim, as respostas a essas perguntas estão no fato de que sim, há coisas inexplicáveis na natureza humana, no mundo, em Deus. Não dá pra fechar o sistema. Todos somos pecadores, mas quem nasce homossexual não peca por isso, assim como quem nasce com Down não peca por isso, assim como quem nasce eunuco não peca por isso, assim como quem nasce cego não peca por isso.

    O mundo é assim, e “nem todos estão aptos a esse entendimento”. Portanto, se vocês querem condenar os nascidos homossexuais à fogueira, o façam, mesmo sabendo que se eles, simplesmente, crerem que Jesus morreu na cruz pela humanidade, e estiverem em Cristo, não haverá mais condenação pra eles, ainda homossexuais como nasceram.

    Graças a Deus por Ele mesmo não ser como a maioria dos cristãos bibliólatras de hoje.

    ABs!

  41. Danilo Ataíde Responder

    Ricardo Bonchristiani F.,

    Não sei quanto à naturalidade do homossexualismo, se é biológico ou não, bem complicado de afirmar. Mas a questão que tá pegando mais aqui é se é imoral ou não segundo os ensinamentos de Jesus.

    Você diz que acredita em Jesus (que leu na Bíblia ou escutou de alguém que leu), mas não acredita em partes da mesma por ter sido feita por homens. Lembrando que as partes em que acredita também foram escritas por homens, não tendo assim medida nenhuma por acreditar ou não. Foi muito bem mostrado pelo Lucas acima.

    Quanto à veracidade Bíblica do Antigo Testamento segundo os ensinamentos de Jesus nos evangelhos, vou colocar aqui alguns versículos. Vamos lá, (não deixe de ler os textos que foram referenciados):

    Jesus confirma a veracidade de algumas histórias do AT:

    Noé: (Mateus 24:37-38)
    Jonas: (Mateus 12:40)

    Confirma também Isaías: (Marcos 7:6)

    Muitos outros textos podem servir de base para confirmar o AT. Mas se resta alguma dúvida, veja os próximos:

    "Não cuideis que vim destruir a lei ou os profetas: não vim ab-rogar, mas cumprir.
    Porque em verdade vos digo que, até que o céu e a terra passem, nem um jota ou um til se omitirá da lei, sem que tudo seja cumprido."
    (Mateus 5:17-18)

    Ou seja, Ele diz toda, não uma parte, nem um til faltará da lei (sim da lei de Deus).

    Vamos a mais uma. Jesus cobre todo o Antigo Testamento, do primeiro ao último, desde Abel à Zacarias, veja Mateus 23:33-37.

    Portanto, Jesus é a favor de todo o Antigo Testamento, isso é inegável.

    E por fim, no Antigo Testamento Deus diz: "Com homem não te deitarás, como se fosse mulher; abominação é;"
    (Levítico 18:22)

    Ah, a lepra era contagiosa.

    Se você acha que existe contradições no AT, então está dizendo que Jesus está errado, já que ele confirma todo o AT. Se crê de fato em Jesus, procure entender, desvendar tais problemas. Tem um livro muito bom para tirar suas dúvidas:
    Manual popular de dúvidas, enigmas e contradições da Bíblia (Norman L. Geisler – Thomas A. Howe)

    Deixo aqui também um texto muito bom do Dr. Willian Lane Craig a respeito: http://www.reasonablefaith.org/portuguese/uma-perspectiva-cristae-sobre-a-homossexualidade

    Abraço.

  42. Karine V. de Lima Responder

    Pesquise antes para não cair no erro .Daniela Mercury não é homossexual e nem heterossexual.Ela é bissexual ,por isso ela manteve relacionamentos héteros e agora mantém um relacionamento homo porque quem é bissexual sente atração afetiva amorosa com os dois gêneros,como isso acontece com os bissexuais eles têm a livre escolha de opção por ser bissexual.O contrário nunca acontece (a não ser com a vontade pessoal própria)a homossexualidade é uma orientação sexual voltado exclusivamente ao mesmo gênero ,a heterossexualidade é o contrário.

  43. Ricardo Bonchristiani F. Responder

    Danilo,

    Nunca disse que não acredito na bíblia. Acredito! O que eu questiono é que as perguntas diretas e objetivas que fiz e refiz no último post, continuam sem respostas objetivas.

    Quem me respondeu se apegou a defender a bíblia e ignorou as perguntas claras que fiz. Sua resposta e de outros não trouxe interpretação pra nenhuma das perguntas. Vc, no máximo, citou a questão da lepra, de fato contagiosa, apesar de meu comentário estar ligado ao fato da pessoa ser também excluída moralmente, em vez de considerada doente, apenas.

    Não precisa defender a bíblia pra mim, sei do valor dela. Mas muitos crentes olham pra ela como muçulmanos olham pro Alcorão. Sou discípulo de Jesus, o que implica em crer que a Antiga Aliança caducou. Gostam de abrir Levíticos e pregar como se fosse Palavra de Deus hoje. A sombra, o símbolo, o aio fica com validade do Evangelho de Jesus. Afinal, vale: "sou cabeça e não sou cauda"? ou "tende em vós o mesmo sentimento que houve também em Cristo?”.

    Palavra de Deus é Jesus, o Verbo, e conheço Ele pelas narrativas dos 4 Evangelhos, o Jesus histórico. Mas sei que ele também se comunica pelo Espírito Santo, que se testifica em milhares. A “Palavra de Deus” não salva ninguém, se o Espírito não participar. E ele participa, mesmo sem a “Palavra”.

    O Evangelho é maior que Paulo. Ele sabia do poder da Graça, mas teve que limitá-la para a compreensão dos homens, mandou usar véu, não se casar, que mulher ficasse em silêncio, isso porque aquela geração não entendia toda a Graça (ou as mulheres ficam caladas em suas igrejas?). A bíblia é cheia de erros em grego, hebraico, genealogias diferentes, espaços de gerações inexplicados etc. Mas isso não importa tanto quanto: Jesus morreu por todos e quem crer será salvo. Quanto a isso nenhuma informação se choca na bíblia, e corrobora o que o Espírito faz, e vice-versa.

    Pq nascem cegos? Pq nascem hermafroditas? Pq nascem homossexuais? Isso não condena ninguém por si só, e não inviabiliza a Graça. Condenação é porque somos pecadores, e nascer homossexual não é pecado, assim como nascer cego também não é (e achavam que era). O que Paulo diz em Romanos está contextualizado em impureza, promiscuidade, orgia, bacanais (Baco), atitudes comuns da sociedade romana. Gostam de dizer que é “princípio”, então por que o véu também não é? Paulo diz que os “injustos” não herdarão o Reino. Quem é justo?

    O que é pior pra Deus? Nascer homossexual ou, pelo "amor à Palavra de Deus", rejeitá-los? Dizem q “amam o pecador e odeiam o pecado”, basta entrar em qualquer igreja e perguntar quantos homossexuais declarados estão lá? Zero. Provavelmente, há homossexuais e muitos até imaginam quem são, mas o tema vira tabu, não sabem como rejeitar (por “amor”) alguém que às vezes é querido no grupo.

    Gay não é padrão. Não é benção. Não é natural. Mas a Graça de Deus é maior que a natureza, abarca todas as naturezas deformadas (e todos nós temos deformações de vários tipos).

    Fora isso, que todos nós, heteros ou homos, recebamos a Graça de Deus e que ele testifique, pelo Espírito, como a vida deve ser levada.

  44. Daniele Santos Responder

    Parabéns pelo texto, Rev. Ageu!

    Excelentes comentários dos leitores! Discussões calorosas!!

    Preciso comentar também!! rsrs
    Enfim, discordo com o Ricardo Bonchristiani F, mas acho que os que se posicionaram argumentando já expressaram minha opinião!

    Acho que essa é uma discussão importante e extremamente válida, sobretudo nesse momento em que somos atacados, desreipeitados e obrigados a aceitar algo que vai claramente contra a vontate de Deus. Não podemos nos conformar.

    Deixando um pouco a questão da homossexualidade de lado…
    Isso me faz refletir quantas vezes não tentamos "apagar" alguns textos bíblicos ou dar interpretações extremamente pessoais desconsiderando todo o contexto e deixando de ver a Bíblia como um 'todo' simplesmente para justificar nossas opiniões, erros e as nossas vontades…
    Sim, a homossexualidade é pecado, desagrada a Deus.
    Não podemos nos esquecer que inadimplência também é, sexo fora do casamento (e isso também inclui ANTES do casamento) também é, mentira, desrespeito aos pais, vícios…
    Quando Jesus disse sobre a mulher adúltera: "Quem não tiver pecado, atire a primeira pedra" ele era o único habilitado para fazê-lo e não o fêz. Mas ele não aceitou o pecado, ele a exortou a respeito. E ela se arrependeu.

    (mas nós temos a salvação de graça e não a perderemos)- isso não nos dá liberdade para pecar. Aquele que é eleito também peca, mas se arrepende e tenta não pecar.
    Todos estamos sujeitos a pecar! Devemos estar sempre em comunhão com Cristo!

  45. Ricardo Bonchristiani F. Responder

    Lucas Lima:

    – Vc pergunta “Por que você acha que os evangelhos são confiáveis? e por que você acha que os demais preceitos não o são, são meras dicas ou opiniões? “

    A bíblia toda é confiável. Mas “confiável” é diferente de “perfeita”. Os 4 Evangelhos foram escritos para registrar fatos históricos, a vida de Jesus, para o mundo saber. Apesar das abordagens diferentes (foram escritos por 3 testemunhas oculares e 1 historiador – Lucas) nenhum evangelho se contradiz no principal: Jesus é Filho de Deus, morreu por nós, e se crermos seremos salvos. O VT está consumado em Jesus, portanto ninguém precisa mais obedecer a Deuteronômio, Levítico, Números.

    Já as cartas de Paulo incluem revelação (Jesus) e questões de ordem, dicas a igrejas que viviam situações históricas e específicas. Nem Paulo santificou suas próprias cartas. Quando ele falava da “escritura” pra Timóteo, ele se referia à “bíblia” da época, o VT, e não à sua própria carta.

    Isso não é basear a fé em “critérios diversos”. É saber que existe um contexto pra cada texto da bíblia. “Examinai tudo, e retém o que é bom” disse Paulo.

    – “A bíblia é sim a principal fonte da palavra de Deus, revelações individuais são exceções”.

    Se revelação do Espírito sem “bíblia” é exceção, é vc quem o diz. A bíblia como temos hoje existe há pouco mais de mil anos. E te asseguro que, antes disso, Deus se relacionava de outras formas com a humanidade (mais de 100 mil anos de gerações). Melquisedeque é apenas 1 único citado na bíblia, mas que abre precedentes infinitos. Deus tem poder pra isso. Se vc não acredita, você jogou toda a humanidade antes da bíblia direto no inferno.

    – “as doutrinas cristãs não surgiram com Constantino ou após ele, mas com os próprios Apóstolos e com Cristo que nos revelou o "significado de ser" de todo o velho testamento”

    Na verdade, pouco importa se Constantino chegou (e piorou tudo) depois. Os apóstolos certamente desenvolveram sistematizações. Mas, para Paulo, “outra doutrina” era “outro evangelho”. Ou seja, um evangelho diferente do de Jesus. Quando Jesus ensinava, perguntavam “que doutrina é essa?”. Quando perguntavam a Jesus se o que Ele dizia era doutrina verdadeira, Ele não respondia que deviam sistematizar o que era dito, dizia que teriam que viver o que era dito, em fé, em prática. No máximo, disse “A minha doutrina não é minha, mas daquele que me enviou”. E aí, doutrina (no sentido clássico e teológico) nenhuma abraça a Deus. Ele é infinito, inexplicável, imensurável. O Evangelho de Jesus é Ele mesmo. Então sua doutrina é tentar viver como Ele viveu.

    – “Confesso que possuo certo receio quanto algumas afirmações do tipo a "fé não é lógica"

    Pra mim, fé não é lógica. Qual a lógica de crer na ressurreição? Qual a lógica de andar sobre as águas? Qual a lógica de ser “bem-aventurado quem for perseguido pela justiça?”. Qual a lógica de ser “bem-aventurado o pobre de espírito?”. Qual a lógica de morrer na cruz para salvar? Qual a lógica de “dar a outra face”? Qual a lógica de “amar os inimigos?”. Fé envolve milagre, envolve o inexplicável. Fé no Reino pregado por Jesus é ainda mais ilógica, pois lá, o menor será o maior. E essas coisas não combinam com a lógica.

    – “Vamos supor que o homossexualismo seja uma causa natural, isso em nada exime que o convertido abandone essa prática.”

    Claro, ele pode deixar de praticar, mas nunca deixará de ser. A orientação sexual nascida é psiqué constituída. Se você nasce hetero, pode parar de praticar, mas nunca deixará de ser.

    – “A questão é que seguir Jesus é algo penoso”

    Seguir Jesus não é penoso, o “meu fardo é leve” ele diz. Seguir a Igreja e o Cristianismo que surgiram depois dEle é que é penoso. Havia muitos gays na época de Jesus e ele nunca nem citou, no entanto, gente que rejeita os outros fingindo que “ama”, isso ele condena: “Ai de vós” “Filhos do Diabo”.

    Somos todos pecadores, mas vivemos pela Graça, pela Fé, e quem nos convence do pecado é o Espírito Santo, e não a Lei, uma lista, ou a igreja.

  46. Lucas Lima Responder

    “Pra mim, fé não é lógica. Qual a lógica de crer na ressurreição? Qual a lógica de andar sobre as águas? Qual a lógica de ser “bem-aventurado quem for perseguido pela justiça?”. Qual a lógica de ser “bem-aventurado o pobre de espírito?”. Qual a lógica de morrer na cruz para salvar? Qual a lógica de “dar a outra face”? Qual a lógica de “amar os inimigos?”. Fé envolve milagre, envolve o inexplicável. Fé no Reino pregado por Jesus é ainda mais ilógica, pois lá, o menor será o maior. E essas coisas não combinam com a lógica.”
    Para mim ilógico é defender que Deus não existe (eu sei que você não afirmou isso), a apologética contemporânea nos mostra o quanto é irracional a posição naturalista (recomendo os textos do William Lane Craig), na verdade, quando descobrimos que nosso Deus criou tudo do nada (ex nihilo), todos os milagres que você citou é fichinha para ele. O fato de desconhecermos a lógica de Deus, não o torna ilógico, como eu disse, a sua lógica ultrapassa infinitamente a nossa.

    “Seguir Jesus não é penoso, o “meu fardo é leve” ele diz. Seguir a Igreja e o Cristianismo que surgiram depois dEle é que é penoso. Havia muitos gays na época de Jesus e ele nunca nem citou, no entanto, gente que rejeita os outros fingindo que “ama”, isso ele condena: “Ai de vós” “Filhos do Diabo”.

    O fardo de Cristo é leve por que Ele nos dá auxilio, é nosso refúgio no dia da diversidade, nosso esconderijo, nossa fortaleza. Isso significa que nosso caminhar não é penoso? E que não enfrentamos dificuldades? Para os mártires foi doloroso,assim como para os perseguidos nos dias de hoje.

    II Coríntios 11.22-27 nos diz: – São hebreus? Também eu. São israelitas? Também eu. São descendência de Abraão? Também eu.
    23 São ministros de Cristo? (Falo como fora de mim.) Eu ainda mais: em trabalhos, muito mais; em açoites, mais do que eles; em prisões, muito mais; em perigo de morte, muitas vezes.
    24 Recebi dos judeus cinco quarentenas de açoites menos um;
    25 Três vezes fui açoitado com varas, uma vez fui apedrejado, três vezes sofri naufrágio, uma noite e um dia passei no abismo;
    26 em viagens, muitas vezes; em perigos de rios, em perigos de salteadores, em perigos dos da minha nação, em perigos dos gentios, em perigos na cidade, em perigos no deserto, em perigos no mar, em perigos entre os falsos irmãos;
    27 em trabalhos e fadiga, em vigílias, muitas vezes, em fome e sede, em jejum, muitas vezes, em frio e nudez.

    Portanto, é penoso sim, viver para rejeitar nossa carne é difícil. Bom é que Cristo nos auxilia e nos dará a vitória final.

    “Somos todos pecadores, mas vivemos pela Graça, pela Fé, e quem nos convence do pecado é o Espírito Santo, e não a Lei, uma lista, ou a igreja.“

    Concordo plenamente! Graça e Paz

  47. Lucas Lima Responder

    Bom, me parece que Paulo acreditava sim na canonicidade de suas palavras, pois, não são meras opiniões, dicas, conselhos, mas a própria palavra de jesus Cristo. Pode homens que falaram da parte de Deus e impelidos pelo Espirito Santo terem se enganado?

    “Se revelação do Espírito sem “bíblia” é exceção, é vc quem o diz. A bíblia como temos hoje existe há pouco mais de mil anos. E te asseguro que, antes disso, Deus se relacionava de outras formas com a humanidade (mais de 100 mil anos de gerações). Melquisedeque é apenas 1 único citado na bíblia, mas que abre precedentes infinitos. Deus tem poder pra isso. Se vc não acredita, você jogou toda a humanidade antes da bíblia direto no inferno.”
    Ao longo dos anos, Deus moveu certos homens para anunciar sua palavra. Moisés, os profetas, os apóstolos. Tal privilégio nunca foi comum a todos os homens, mas restrito a certos escolhidos.
    Se todos os homens escutassem a voz clara de Deus, para que os profetas? Ou os apóstolos? Era só ouvir os sussurros.
    Quando me refiro a bíblia, falo de forma genérica, não me refiro ao livro da capa preta que compramos na livraria do shoping. Deus utiliza sua palavra para se revelar, seja a transmissão oral da lei, feita por Moisés, seja nas palavras duras de arrependimento dos profetas, a revelação de Deus é progressiva. Tudo isso é palavra de Deus, não precisa ser escrita como a conhecemos hoje. Deus se revelou para mim através de sua palavra, não houve sussurros, visões, relâmpagos. Creio que para a maioria também é desse jeito, seja hoje ou seja ontem.

    “Na verdade, pouco importa se Constantino chegou (e piorou tudo) depois. Os apóstolos certamente desenvolveram sistematizações. Mas, para Paulo, “outra doutrina” era “outro evangelho”. Ou seja, um evangelho diferente do de Jesus. Quando Jesus ensinava, perguntavam “que doutrina é essa?”. Quando perguntavam a Jesus se o que Ele dizia era doutrina verdadeira, Ele não respondia que deviam sistematizar o que era dito, dizia que teriam que viver o que era dito, em fé, em prática. No máximo, disse “A minha doutrina não é minha, mas daquele que me enviou”. E aí, doutrina (no sentido clássico e teológico) nenhuma abraça a Deus. Ele é infinito, inexplicável, imensurável. O Evangelho de Jesus é Ele mesmo. Então sua doutrina é tentar viver como Ele viveu.”

    Sistematizar um ensino, uma doutrina, não é sinônimo de acrescentar ou retirar ensinamentos, esse fato é condenado por Paulo. Não compreendo essa sua birra contra o estudo sistemático.

    Continua…

  48. Lucas Lima Responder

    Ricardo Bonchristiani F.,
    bom me parece que esse assunto rendeu muito debate.
    vou tentar responder suas perguntas da maneira mais sucinta possível.

    “A bíblia toda é confiável. Mas “confiável” é diferente de “perfeita”. Os 4 Evangelhos foram escritos para registrar fatos históricos, a vida de Jesus, para o mundo saber. Apesar das abordagens diferentes (foram escritos por 3 testemunhas oculares e 1 historiador – Lucas) nenhum evangelho se contradiz no principal: Jesus é Filho de Deus, morreu por nós, e se crermos seremos salvos. O VT está consumado em Jesus, portanto ninguém precisa mais obedecer a Deuteronômio, Levítico, Números.”
    – bom, mais uma vez não compreendo seu ponto de vista. Os livros da bíblia devem ser postos em um único patamar. Por que os evangelhos são confiáveis ou reproduzem a verdade? E por que os outros livros são meras dicas ou recomendações? O gênero histórico ou narrativo é digno de confiança e o exortativo não? Nesse caso poderia se afirmar que o livro de Reis é mais confiável que livros poéticos como Salmos ou eclesiastes?
    O fato de existir quatro relatos diferentes narrando determinado fato não significa que tal fato é verdadeiro. Vou te dar um exemplo. Existem várias biografias (chamadas siras) que contam os feitos e os milagres de Maomé. Isso no entanto, não torna o profeta maomé divino (enviado por Deus), nem o islamismo verdadeiro. Os evangelhos gnósticos também não são verdadeiros, mesmo partilhando similariedades.
    A confiabilidade do evangelho não esta vinculada ao número de evangelhos escritos, mas sim por que é palavra inspirada por Deus, assim como o restante da bíblia.
    “O VT está consumado em Jesus, portanto ninguém precisa mais obedecer a Deuteronômio, Levítico, Números.”
    A lei mosaica está consumada em Jesus, o VT não é exclusivamente composto pela lei mosaica.
    “Já as cartas de Paulo incluem revelação (Jesus) e questões de ordem, dicas a igrejas que viviam situações históricas e específicas. Nem Paulo santificou suas próprias cartas. Quando ele falava da “escritura” pra Timóteo, ele se referia à “bíblia” da época, o VT, e não à sua própria carta.”
    Apesar dos pais apostólicos sempre tratarem os escritos do novo testamento (especialmente os escritos de Paulo) como canônicos ao ponto de coloca-los lado a lado com o VT, a Inspiração torna a autoridade de um livro reconhecidamente divino. Se Deus falou, o que ele diz é autoridade suficiente. A Escritura, portanto, não se torna divina através de reconhecimento individual ou coletivo.

    Veja o que diz 2 Pedro 1:20-21: 20- Antes de mais nada, saibam que nenhuma profecia da Escritura provém de interpretação pessoal,
    21- pois jamais a profecia teve origem na vontade humana, mas homens falaram da parte de Deus, impelidos pelo Espírito Santo.

    Veja também o que diz Paulo em Gálatas 8-12:
    Mas, ainda que nós mesmos ou um anjo do céu vos anuncie outro evangelho além do que já vos tenho anunciado, seja anátema.
    Assim, como já vo-lo dissemos, agora de novo também vo-lo digo. Se alguém vos anunciar outro evangelho além do que já recebestes, seja anátema.
    Porque, persuado eu agora a homens ou a Deus? ou procuro agradar a homens? Se estivesse ainda agradando aos homens, não seria servo de Cristo.
    Mas faço-vos saber, irmãos, que o evangelho que por mim foi anunciado não é segundo os homens. Porque não o recebi, nem aprendi de homem algum, mas pela revelação de Jesus Cristo.

    continua…

  49. Danilo Ataíde Responder

    Ricardo Bonchristiani F.,

    Não sei quanto à naturalidade do homossexualismo, se é biológico ou não, bem complicado de afirmar. Mas a questão que tá pegando mais aqui é se é imoral ou não segundo os ensinamentos de Jesus.

    Você diz que acredita em Jesus (que leu na Bíblia ou escutou de alguém que leu), mas não acredita em partes da mesma por ter sido feita por homens. Lembrando que as partes em que acredita também foram escritas por homens, não tendo assim medida nenhuma por acreditar ou não. Foi muito bem mostrado pelo Lucas acima.

    Quanto à veracidade Bíblica do Antigo Testamento segundo os ensinamentos de Jesus nos evangelhos, vou colocar aqui alguns versículos. Vamos lá, (não deixe de ler os textos que foram referenciados):

    Jesus confirma a veracidade de algumas histórias do AT:

    Noé: (Mateus 24:37-38)
    Jonas: (Mateus 12:40)

    Confirma também Isaías: (Marcos 7:6)

    Muitos outros textos podem servir de base para confirmar o AT. Mas se resta alguma dúvida, veja os próximos:

    "Não cuideis que vim destruir a lei ou os profetas: não vim ab-rogar, mas cumprir.
    Porque em verdade vos digo que, até que o céu e a terra passem, nem um jota ou um til se omitirá da lei, sem que tudo seja cumprido."
    (Mateus 5:17-18)

    Ou seja, Ele diz toda, não uma parte, nem um til faltará da lei (sim da lei de Deus).

    Vamos a mais uma. Jesus cobre todo o Antigo Testamento, do primeiro ao último, desde Abel à Zacarias, veja Mateus 23:33-37.

    Portanto, Jesus é a favor de todo o Antigo Testamento, isso é inegável.

    E por fim, no Antigo Testamento Deus diz: "Com homem não te deitarás, como se fosse mulher; abominação é;"
    (Levítico 18:22)

    Ah, a lepra era contagiosa.

    Se você acha que existe contradições no AT, então está dizendo que Jesus está errado, já que ele confirma todo o AT. Se crê de fato em Jesus, procure entender, desvendar tais problemas. Tem um livro muito bom para tirar suas dúvidas:
    Manual popular de dúvidas, enigmas e contradições da Bíblia (Norman L. Geisler – Thomas A. Howe)

    Deixo aqui também um texto muito bom do Dr. Willian Lane Craig a respeito: http://www.reasonablefaith.org/portuguese/uma-perspectiva-cristae-sobre-a-homossexualidade

    Abraço.

  50. arcolinofsneto Responder

    Jesus é o autor e consumador da fé,Ele é o Mestre em paradoxos e suas resoluções,a experiência pessoal não é o fundamento nem a causa mais o efeito do envolvimento com Ele,seguido por um relacionamento pessoal com Ele,e Ele consumará a fé naquilo que Ele preparou para cada um,enquanto a triste herança de natureza pecaminosa que herdamos de Adão e Eva a onde o livre arbitrio muito longe de ser Liberdade,o livre arbitrio é a vontade e desejos misturada com malícias,dúvidas e rebeliões,e a liberdade que só se acha em Jesus,pelo seu Espírito Santo é seguido de:liberalidade,expontâneidade e criatividade e nunca em permissividade ou libertinagem,por miúdo quem despresar os dons de Deus ficará preso nas vicissitudes,querendo além do mais subverter ao legado filial do reino do Pai numa concepção licenciosa da vida mesmo lendo as Escrituras Sagradas sem querer se arrepender e mudar de vida,o que é muito lamentável,sabemos que o amor do Pai é incondicional enquanto doação de Si,mais a mediação absolutamente nescessária,exigirá arrependimento e fé,mudança de vida.

  51. Ricardo Bonchristiani F. Responder

    Lucas:

    – “ Os livros da bíblia devem ser postos em um único patamar.”
    Por que? Mais de 40 autores (reis, camponeses, filósofos, pescadores, poetas, soldados, médico, rabino, copeiro, boiadeiro..) escreveram coisas diferentes (histórias, leis, poesia religiosa, poesia erótica, parábolas, alegorias, biografia, correspondência pessoal etc.). Eles não precisam e nem devem ser encarados como se estivessem no mesmo “patamar”.Ou você acha que Habacuque e Apocalipse estão no mesmo “patamar”?

    – O gênero histórico ou narrativo é digno de confiança e o exortativo não? Nesse caso poderia se afirmar que o livro de Reis é mais confiável que livros poéticos como Salmos ou eclesiastes?”
    Não se trata de “ser confiável”. É o propósito de cada livro. Livros como Reis se propõem a serem históricos. Eclesiastes a ser filosófico. Livros poéticos não precisam ser “confiáveis”. Os “exortativos” que você diz (provavelmente se referindo a Paulo) são cartas, e lá tem de tudo, histórias, fatos, opiniões práticas, até mesmo poesias e exortações. Aliás, o que são exortações mesmo? O dicionário diz: é aconselhar. Tudo o que está lá é “confiável”. Exortação (aconselhamento) é aplicação de conceitos na vida cotidiana, e aí cada situação, cada pessoa, cada contexto é diferente, não é pra virar Lei, é conselho.

    – “a confiabilidade do evangelho não esta vinculada ao número de evangelhos escritos, mas sim por que é palavra inspirada por Deus, assim como o restante da bíblia.”
    Não digo que são verdade porque são 4 ou por serem “inspiradas”. Isso pode ser relativo. São verdade porque, 2000 anos depois, conheci o Cristo narrado dos evangelhos. E o Espírito Santo o testificou em mim. É sobrenatural. Tudo isso hoje em dia. Por isso, e SÓ por isso, sei que Jesus é de verdade.

    “- A lei mosaica está consumada em Jesus, o VT não é exclusivamente composto pela lei mosaica.”
    Com certeza não. Mas a Lei mosaica é o que regulava o comportamento, e não as poesias, as histórias, profecias e etc. Por isso não tem sentido querer colocar tudo no mesmo “patamar”. Mas, graças a Jesus, não preciso viver como eles viveram no VT.

    – “a Inspiração torna a autoridade de um livro reconhecidamente divino. Se Deus falou, o que ele diz é autoridade suficiente. A Escritura, portanto, não se torna divina através de reconhecimento individual ou coletivo”
    E como afirmar que “Deus falou” isso ou aquilo nos textos da época? Você sabe a fórmula? Creio em Jesus e no Espírito Santo pelo que fazem na minha vida HOJE, e não por algum critério literário de divindade de textos, isso fica sendo totalmente periférico.

  52. Ricardo Bonchristiani F. Responder

    – “Bom, me parece que Paulo acreditava sim na canonicidade de suas palavras, pois, não são meras opiniões, dicas, conselhos, mas a própria palavra de jesus Cristo”
    A autoridade de Paulo existe porque ele vivia o Evangelho de Cristo. Mas ele não fez novas revelações. Jesus já tinha se revelado. O que Paulo fez foi aplicar os princípios do Evangelho em seus contextos (da época), tendo que reduzir a Graça na mediocridade da vida social, e por meio de exortações (conselhos. E se você acha que exortações são LEIS então sua questão é com os dicionários). Por exemplo: “Em Cristo não há homem, nem mulher; nem escravo, nem liberto; nem judeu, nem grego”, ele disse. Mas, como as pessoas (até hoje, pelo jeito) não entenderiam isso, ele reduziu essa liberdade e “exortou” para que os senhores e escravos se respeitassem. Ele não é a favor da escravatura, mas como a época era assim, ele adaptou.

    – “. Deus utiliza sua palavra para se revelar, seja a transmissão oral da lei, feita por Moisés, seja nas palavras duras de arrependimento dos profetas”
    Concordo. No entanto, isso era para os judeus. Até Jesus, a bíblia foi sendo feita e vivida pelos israelitas, seus profetas, etc. E o resto do mundo? Sempre teve milhares de outros povos, e Deus não os condenou ao inferno em todo esse tempo. Deus se revela de mil outras formas, até hoje. Missionários estão cheios de histórias de povos isolados que, ao ouvirem sobre Jesus, perceberam o encaixe em sua própria tradição religiosa, sem nunca terem visto bíblias.

    – “Sistematizar um ensino, uma doutrina, não é sinônimo de acrescentar ou retirar ensinamentos, esse fato é condenado por Paulo. Não compreendo essa sua birra contra o estudo sistemático.”
    Você tem razão. Não precisam acrescentar, mas acrescentaram. Em muitas igrejas, não existe Graça, nem amor, existe Lei. Coisas do dia a dia para Paulo se tornaram Lei. Paulo mesmo disse que a “letra mata”, e isso inclui as próprias cartas! O Evangelho é Cristo, é a única revelação, e ela não se contém numa única realidade cultural.

    – “Ele nos dá auxilio, é nosso refúgio no dia da diversidade, nosso esconderijo, nossa fortaleza. Isso significa que nosso caminhar não é penoso? E que não enfrentamos dificuldades?”
    O caminhar é penoso não por causa de Cristo, mas porque a vida é penosa. Achar que os nascidos homossexuais pecam por nascer assim e sua “pena” é deixarem de ser, não tem relação com as dificuldades da vida. Essa dificuldade é imposta pelos cristãos, que como disse antes, tornam lei o que não era pra ser.

    -“é penoso sim, viver para rejeitar nossa carne é difícil.”
    Rejeitar a carne é difícil. A carne é o pecado. Agora imagine se chegam pra você e dizem que você gosta de mulher desde que nasceu e por isso está em pecado contra Deus (!). A quem você vai recorrer? Com certeza não a maioria das igrejas, onde há julgamento, preconceito e falta de amor. Quem rejeita essa gente é gente da “religião” no pior sentido. Fácil apontar o dedo e taxá-las de pecadoras, empurrando-as para longe, mas se a fé em Jesus não puder ser Graça de Deus para todas as criaturas viverem em paz com o Criador então ela é inútil, não é “favor imerecido”. A relação do indivíduo (gay ou não) com Deus não tem que passar por um terceiro ente (igreja). E aí é Deus com cada um.Deus é pessoal. E eu confio que Ele fará (ou não fará) o que tiver que ser. Se o gay (sempre me refiro a quem nasce assim) resolver seguir Jesus, siga graças a Deus, gay mesmo, e o mais Ele fará, ou não, isso não interessa. Deus é maior do que isso, maior que Paulo, maior que suas cartas, maior que a bíblia, maior que a Lei.

    As igrejas gostam de dizer “venha como está”. Mas logo depois, nota-se que isso é só no começo, depois cada um terá que dar um jeito pra ficar igual todo mundo que está lá. E aí, se a pessoa não é como todo mundo na igreja, então a pessoa não é de Jesus. Pura doença religiosa. Primeiro seduzem, depois rejeitam se não se enquadrar. Graças a Deus, Jesus não é assim, “de modo nenhum lança fora” quem se achega a Ele.

    ABs!

  53. Anonymous Responder

    Assim como John F. cresci na igreja e luto ate hj (tenho 27) contra a minha homossexualidade. Nao acho que tenha nascido assim, mas tb nao simplifico como escolha. De qualquer forma, assim como a maioria, considero a prática como pecado. Peço oração pois é bem difícil viver nessa, detona a auto-estima, vc acaba se escondendo, fingindo um personagem. Fora q a igreja – q deveria ser um hospital – nesse assunto funciona mt mais como tribunal

  54. Claudio Responder

    Prezado: Para mim não é fato novo que, na MAIORIA dos casos, o comportamento homossexual SEJA mesmo uma ESCOLHA e não uma predisposição genética; desta forma, a opção atual da cantora Daniella Mercury apenas ratifica isto. Concordei muito com seu artigo até o momento em que você NEGOU que haja pessoas com TAL PREDISPOSIÇÃO (genética? natural? não sei); explico: creio que MUITOS DE NÓS já observamos que há, de fato, meninos e meninas que APRESENTAM (alguns desde bem cedo) um comportamento MUITO DIFERENTE do esperado. Infelizmente (posso estar errado) parece para mim que a necessidade de ter todas as respostas e de ser convincente sempre podem ser armadilhas perigosas. Abraço.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *