20 Conselhos Práticos para uma Guarda do Domingo mais Proveitosa



1. Durante a semana, vá ao mercado, à feira e compre tudo o que você necessita para não ter que fazer isso no domingo.

2. Cuide também de outros afazeres como lavar e passar roupa, limpar o carro, cuidar da casa, praticar esportes, etc. Deixe o domingo livre de tudo isso.

3. Se você é estudante, programe-se para fazer as leituras e trabalhos durante a semana, separando o domingo apenas para os estudos devocionais.

4. No sábado, providencie a comida do domingo (almoço e jantar) para que o Dia do Senhor não tenha que ser passado na cozinha.

5. No sábado à noite, não vá dormir tarde. Durma o número de horas suficientes para que você acorde descansado e, assim, aproveite bem o Dia do Senhor.

6. No domingo, acorde mais cedo, demonstrando seu interesse em usufruir deste dia. Levantar mais cedo também é bom para evitar os atrasos do Culto ou Escola Dominical e as discussões e aborrecimentos que resultam deles.

7. Quando começarem as orações e as leituras da Palavra, deixe de lado seus pensamentos particulares e una-se em mente e espírito ao povo de Deus.

8. Preste máxima atenção à palavra do pregador ou do professor da Escola Dominical. Atente para as coisas que você já sabe, e está recordando, e para as coisas novas que está aprendendo agora. Perceba que pecados Deus está confrontando em sua vida e ore pedindo misericórdia e graça para abandoná-los.

9. Terminadas as atividades da manhã na igreja, una sua família ao redor da mesa para o almoço. Ore agradecendo a Deus pelo alimento espiritual recebido e pelo físico que está à mesa. Ao invés de fazer comentários maldosos sobre algo que aconteceu na igreja, converse sobre os ensinos recebidos pela manhã. Pergunte a todos o que aprenderam e como podem colocar em prática estes ensinos.

10. No período da tarde, descanse, mas lembre-se de que o Dia do Senhor não pode ser de ociosidade. Ao invés de ver programas inúteis e pecaminosos na televisão, prefira ver um filme com princípios cristãos, ler um livro edificante ou escutar músicas de louvor e adoração a Deus.

11. Como o domingo é o dia por excelência para as obras de misericórdia, visite alguém que está precisando de cuidados físicos ou espirituais.

12. A tarde pode ser preenchida ainda com programações na igreja, tais como almoços comunitários e períodos de louvor e adoração por meio da música.

13. No final do dia, chegue mais cedo na igreja. Vá ao banheiro, beba água e certifique-se de que não precisará sair do culto para fazer qualquer coisa. Lembre-se de que, talvez, em um cinema, assistindo a um filme interessante, você não sairia para isso.

14. Antes de o culto começar, escolha um bom lugar para assentar-se, desligue aparelhos eletrônicos como celulares, smartphones, etc, e aguarde o início do culto em oração e leitura da Palavra.

15. No culto, una-se em um só coração com o corpo de Cristo para adorá-lo. Deixe que a mensagem da Palavra de Deus destrua suas ideias e comportamentos pecaminosos e edifique conceitos e atitudes de obediência e consagração.

16. No culto não desperdice tempo reparando nas roupas das pessoas, nos eventuais erros de português do pregador ou em qualquer outro detalhe periférico. Concentre-se em adorar a Deus corretamente e em ouvir a Sua voz por meio das Escrituras.

17. Terminado o culto, não saia apressado da Casa de Deus, como se ali fosse um local desagradável. Converse com as pessoas, confraternize-se, aumentando a comunhão com seus irmãos.

18. Não frequente restaurantes neste dia. Lembre-se que o mandamento envolve não trabalhar e não fazer com que outros trabalhem também. Prefira reunir o grupo de irmãos em sua casa para saborear os pratos que você já providenciou no sábado.

19. Ao chegar em casa, ao invés de ligar a televisão e perder boa parte do que foi aprendido neste dia especial, vá para a cama ler um livro e medite nos ensinos recebidos durante o dia.

20. E lembre-se, o domingo é um dia de deleite, agradável. Os puritanos o chamavam de “feira da alma”. Isaías disse ao povo de Deus no passado: “Se desviares o pé de profanar o sábado e de cuidar dos teus próprios interesses no meu santo dia; se chamares ao sábado deleitoso e santo dia do SENHOR, digno de honra, e o honrares não seguindo os teus caminhos, não pretendendo fazer a tua própria vontade, nem falando palavras vãs, então, te deleitarás no SENHOR…” (Is 58.13,14).

Concluindo, uma citação de Thomas Brooks, um pregador puritano do século 17: “… não há crentes, em todo o mundo, que se comparem, quanto ao poder da piedade e quanto à excelência nos terrenos da graça, da santidade e da comunhão com Deus, como aqueles que se mostram mais estritos, sérios, estudiosos e meticulosos na santificação do dia do Senhor… A verdadeira razão pela qual o poder da piedade tem caído a níveis tão baixos, tanto neste como em outros países, é que o domingo não está mais sendo observado de forma estrita e consciente…”.

14 comments on “20 Conselhos Práticos para uma Guarda do Domingo mais Proveitosa”

  1. Nerly Nunes Responder

    Olha, não sou adventista, mas eu discordo da guarda do domingo. No Novo Testamento não há textos que sejam mandamentos para a guarda nem do sábado nem do domingo. Isso é invencionice! Paulo, escrevendo ao romanos, disse: "Há quem considere um dia mais sagrado que outro; há quem considere iguais todos os dias. Cada um deve estar plenamente convicto em sua própria mente.
    Aquele que considera um dia como especial, para o Senhor assim o faz" (Romanos 14:5-6). Se eu quiser separar a sexta feira, por exemplo, para o Senhor, não serei antibíblico por isso.

  2. Luciano Sena Responder

    Olá Reverendo Ageu, tudo bem?

    Algo que me incomoda sobre o assunto é: essa é uma doutrina presbiteriana. Está na CI, nos Símbolos, e mais importante, é um princípio bíblico.

    No entanto, não é uma realidade prática. Não existe essa disposição geral – na maioria esmagadora da IPB, nada disso.

    Acredito que uma postura sobre esse assunto deveria ser tomada pelo SC. Mas como tomariam? Se muitos, (muitos é quase todos!) de nossos pastores não estão seguindo isto? Vãp aos domingos em passeios, aeroportos, rodoviária, piscinas, etc, etc…

    Além disso, a Editora Cultura Cristã lançou um livro organizado por D. A. Carson onde a interpretação puritana a respeito do domingo é 'colocada em xeque'. A ponto de um doa autores daquele livro dizer que "passaram perto do farisaísmo".

    Creio, também, que existem argumentos no tal livro que deveriam ser respondidos. Já perguntei sobre o conteúdo desse livro com os Reverendos CLaudio Marra, Odair Oliveti, Roberto Brasileiro, Nicodemus, Hermisten Maia, Hernandes, e vários não sabiam do conteúdo, não podiam expressar opiniões.

    Creio que o assunto não deveria ter uma postura confessional(só para dizer que somos herdeiros da fé puritana) e outra prática – que todo mundo sabe, que não existe entre nós, talvez, um ou outro caso encontramos. Eu digo isso, olhando para uma igreja local.

    Abraços
    Luciano Sena
    mcapologetico.blogspot.com

  3. Rev. Ageu Magalhães Responder

    Caro Nerly,

    Acho que o irmão está equivocado, por algumas razões:

    1. O 4o. mandamento nunca foi abolido. No Sermão do Monte Jesus diz claramente que não veio revogar, anular, a lei, mas cumpri-la (Mt 5.17). E se não foi abolido, continua em vigor. Nós não cremos em 9, mas em 10 mandamentos.

    2. O 4o. mandamento não é lei cerimonial. Ele é anterior à lei cerimonial. Por isso ele começa com "Lembra-te". Ele foi criado por Deus no início do mundo, como dia de descanso.

    3. Jesus, Senhor do Sábado, teve autoridade para substitui-lo pelo Domingo. Vários textos no NT mostram a igreja se reunindo neste dia e os principais acontecimentos da era cristã aconteceram em um domingo (usarei aqui uma lista do Pb. Solano Portela).

    • Jesus ressuscitou (Jo 20.1)
    • Jesus apareceu aos dez discípulos (Jo 20.19)
    • Jesus apareceu aos onze discípulos (Jo 20.26)
    • O Espírito Santo desceu no dia de pentecostes, que era um domingo (Lv 23.15, 16 – o dia imediato ao sábado), e nesse mesmo domingo o primeiro sermão sobre a morte e ressurreição de Cristo foi pregado por Pedro (At 2.14) com 3000 novos convertidos.
    • Em Trôade os crentes se juntaram para adorar (At 20.7).
    • Paulo instruiu aos crentes para trazerem as suas contribuições (1 Cr 16.2).
    • Jesus apareceu e João, em Patmos (Ap 1.10).

    4. O texto de Romanos 14 não se refere ao sábado. Veja o comentário da Bíblia de Genebra, por exemplo: "14.5 Um faz diferença entre dia e dia. Um padrão de dias santos, que era uma característica do ano judaico, sendo provável que Paulo se referisse aqui a esses dias santos, e não ao sábado. Se o sábado estivesse em vista seria mais natural dizer: 'Um considera o sábado acima dos outros dias'."

    Peço ao irmão que reveja seu posicionamento. Um forte abraço, Ageu.

  4. Daniel S. Responder

    Rev. Ageu, boa tarde.

    Eis uma doutrina que sempre me parece mal explicada. Não escrevo com intuito contender, mas de entender para o bem de minha própria alma. Então, primeiro, como o irmão interpreta Cl 2.18? Segundo, o fato de, como diz o item 18 de seu post, o mandamento envolver não fazer com que outros trabalhem não deve implicar que pecamos quando, no Domingo, utilizamos transporte público (não poderíamos ir a pé a igreja), utilizamos energia elétrica (poderíamos usar velas ou utilizar instrumentos acústicos), enfim, utilizando desses serviços não pecamos contra o Senhor Deus? Este próprio blog no ar implica que há pessoas que trabalham para que ele se mantenha no ar. Espero ter me expressado de modo preciso com relação ao que gostaria de saber. Meu intuito não é contender, é entender com clareza essa doutrina do Dia do Senhor (domingo).

    Grato.
    Daniel S.

  5. Rev. Ageu Magalhães Responder

    Caro Daniel, obrigado pela visita ao blog e pela pergunta!

    1. Sobre a interpretação de Cl 2.16, uma boa resposta não caberia aqui. Gostaria de indicar o capítulo 7 do livro de Joseph Pipa, O Dia do Senhor. Ele pode ser visto aqui:
    http://www.monergismo.com/textos/dez_mandamentos/dia_mudado.htm

    2. Sobre sua segunda questão, Jesus nos ensinou que o sábado foi feito para o homem e não o homem para o sábado (Mc 2.27) e há, portanto, serviços essenciais que precisam funcionar neste dia.

    3. Neste sentido, observe que o título da postagem é "conselhos" para uma guarda mais proveitosa. Não são regras, nem determinações. Escolhi a palavra com cuidado para não parecer uma lista de deveres e de consequentes condenações para os que não a praticarem. A ideia da postagem é dar alguma ajuda àqueles que sentem que podem aperfeiçoar a guarda do seu domingo, mas não descobriram formas práticas para isso.

    Recomendo ao irmão ouvir o áudio de Errol Hulse, na Conferência Fiel de 2002. Eis link:

    http://www.editorafiel.com.br/pop.php?id=31&tipo=2&audio=00288&video=288

    Abraço,
    Ageu

  6. Rev. Ageu Magalhães Responder

    Caro Luciano Sena,

    De fato, este mandamento tem sido rejeitado em nossa denominação. A ideia de que é um dia igual aos outros, aos poucos, ganha cada vez mais força. É preciso retornar aos documentos confessionais de nossa igreja e à Palavra de Deus, acima de tudo. Forte abraço.

  7. Hélio Bandeira Responder

    O novo testamento não recomenda nenhuma guarda de dia, vivemos no tempo da graça, não da lei. E isso é muito difícil de entrar na cabeça das pessoas. E quem trabalha aos domingos? Os adventistas guardam o sábado, e quem trabalha no sábado? Insistimos em guardar dias, será que gostamos mais da lei do que da graça? Lc 5.33-39;Gl 4.9-11. Disseram-lhe,pois: que faremos para executarmos a obra de Deus? Jesus respondeu e disse-lhes: a obra de Deus é esta: que creiais naquele que Ele enviou.

  8. Hélio Bandeira Responder

    Mt 5.17 está em total concordância com Rm 10.4, Jesus é o fim da lei, todo velho testamento foi cravado na cruz. Gl3.13. Tudo foi consumado na cruz Jo 19.30. Jesus nos livrou de todas estas ordenanças. Gl3.23-26;24.1-31;5.1. contra fatos não há argumentos.

  9. Rev. Ageu Magalhães Responder

    Helio Bandeira,

    Sobre o sua frase (muito comum no meio evangélico) de que estamos na graça e não na lei, convido-o a levar esta afirmação às últimas consequências. Se a afirmação é verdadeira, no Antigo Testamento não havia graça e no Novo Testamento não há lei… Recomendo, com urgência, a leitura do livro Lei e Graça, de Mauro Meister.

    Sobre a abolição da guarda do domingo no Novo Testamento, recomendo a leitura dos comentários anteriores.

    Sobre sua afirmação de que o todo o Velho Testamento foi cravado na cruz, isso se chama Marcionismo e foi condenado já nos primeiros séculos da Igreja. Recomendo ao irmão que estude os "usos da lei" para entender o que foi encravado na cruz.

    No mais, que Deus abençoe sua vida.

  10. Kefas Fortaleza Responder

    Se nossas igrejas locais e nossos ministros tem falhado em observar o dia do Senhor, acredito que Deus pode mudar essa realidade nos trazendo de volta a seguir os conselhos acima. Já pensou, aos poucos, na vida de cada irmão, irmã, família, pastor e igreja começarmos a viver o dia do Senhor com amor e alegria movidos pela graça e amor do Pai? Que benção será e eu já vejo irmãos com zelo de Deus por esse motivo. Maior que materialismo, consumismo, individualismo, relativismo e pós modernismo que existe na nossa cultura e sociedade a influenciar e contaminar a igreja, maior é o Espirito Santo a nos guiar e nos preservar em nossa obediência a Deus. Soli Deo Gloria.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *