Dilma vai dar um tiro no pé

JORNAL O ESTADO DE SÃO PAULO
05 de Outubro de 2010

‘Se mentir sobre o aborto, ela vai dar um tiro no próprio pé’, diz deputado baiano

Luiz Bassuma, eleito deputado federal pelo PT da Bahia, mudou-se para o PV quando a antiga legenda o suspendeu por ser contra legalização

05 de outubro de 2010 | 22h 04
Marcelo de Moraes / SÃO PAULO – O Estado de S.Paulo
Em setembro do ano passado, o deputado federal Luiz Bassuma teve suspensos seus direitos partidários dentro do PT pelo prazo de um ano por decisão da direção nacional da legenda. O motivo: era contra a orientação do partido a favor da legalização do aborto. Integrante da Frente Parlamentar em Defesa da Vida, Bassuma preferiu pedir sua desfiliação do PT, entrando no PV de Marina Silva e disputando o governo da Bahia pelo partido.
Agora, com a questão da legalização do aborto tirando votos da candidata Dilma Rousseff, Bassuma critica o que considera mudança de opinião da petista em relação ao assunto. “Acho que vai piorar a situação dela se mentir sobre o aborto por razões eleitoreiras. Vai ser um tiro no próprio pé”, afirma.
O senhor foi punido pelo PT por ser contra a legalização do aborto. Agora, esse tema passou a ser um dos principais problemas da campanha presidencial de Dilma Rousseff e o PT se esforça para dizer que não defende a proposta. Qual é a sua avaliação sobre isso?
Ninguém pode apagar a história. Fui punido com um ano de suspensão pelo PT apenas por querer continuar a favor de uma ideia que sempre defendi. Não queria que ninguém pensasse igual a mim. Só queria que o partido respeitasse meu direito de ter opinião diferente.
O senhor acha que o PT agiu errado com o senhor?
Cumpri quatro mandatos pelo PT e um dos motivos que me fizeram ser filiado ao partido era justamente o artigo interno que permitia aos integrantes terem direito à liberdade de opinião, de religião, de pensamento. Comigo não valeu.
O senhor acha que há setores do partido que realmente são contra o aborto?
É possível. Mas fui punido quase por unanimidade pela direção do partido por ser contra a proposta. Dilma era a ministra chefe da Casa Civil na ocasião. Durante a análise do meu caso, o PT deixou claro que é a favor da legalização e não concordo.
Nos últimos dias, a candidata Dilma tem negado publicamente ser a favor do aborto. O PT, então, deveria propor uma punição interna para ela como fez no caso do senhor?
Acho que eles têm que assumir a verdade e dizer o que pensam sobre o assunto. Vai piorar a situação dela se mentir sobre o aborto por questões eleitoreiras. Vai ser um tiro no próprio pé. Na minha opinião, ela é materialista. O presidente Lula não. Todo mundo sabe que ele realmente tem uma posição diferente. Ele sempre disse que era contra o aborto.
Esse tratamento mais flexível do PT sobre o tema faz com que o senhor se sinta injustiçado por ter sido punido?
Pelo contrário. Eu me sinto honrado por ter sido suspenso pelo PT por ter defendido a vida. Essa é a bandeira da minha vida. Minha principal causa política. E o PT não respeitou esse meu direito. Envergonhado eu estaria se tivesse defendido o mensalão. Eu acho que o aborto significa matar uma vida.
Sua candidata, a senadora Marina Silva, está fora do segundo turno. Entre José Serra e Dilma Rousseff, quem o senhor pretende apoiar no segundo turno?
O PV e Marina ainda vão definir suas posições sobre a sucessão presidencial. Mas eu vou votar e fazer campanha por José Serra em Salvador. Já estou anunciando esse meu apoio publicamente.

3 comments on “Dilma vai dar um tiro no pé”

  1. Anonymous Responder

    Com todo respeito digo, que grande vergonha para as igrejas evangélias do Brasil, usando de total contradição à palavra de Deus e pregando a intolerância e o preconceito. Sou batizada em igreja evangélica, desde os 16 anos.Hoje,com 33 eu sinto vergonha do altar de Deus está sendo usado por irresponsáveis como o senhor, reverendo. Quem tem que refletir é o senhor sobre essa sua pregação de iteresses políticos. Apenas os nçao preparados é que caem na conversa dos lobos vestidos de cordeiro.

    Ana Marques, evangélica

  2. Ricardo Mamedes Responder

    Caro Pastor,

    É a antiga incoerência do PT, especialmente para manter o poder, ou obtê-lo. Não há valores morais que os cerceiem. A ética do PT é essa aí. E a honestidade do partido é igualmente notória. É por isso que repeti outro dia, alhures: "entre Dilma e uma barata, fico com a barata." Logo, desnecessário dizer que voto no Serra.

    Grande abraço. Estou seguindo o seu blog e o convido a visitar o meu.

    Ricardo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *