A Universal e o prêmio para quem arrecada mais…

O vídeo acima ilustra a matéria que o Jornal Folha de São Paulo publicou no dia 20/06/10 com denúncias sobre a Igreja Universal do Reino de Deus. O vídeo faz parte de uma série de orientações internas aos pastores da igreja que vazaram pelas mãos de um ex-pastor que agora está movendo uma ação contra a igreja por danos morais. 

A Igreja Universal se defendeu das acusações com a seguinte nota:

“A viagem para Israel não é considerada uma premiação e sim uma missão religiosa almejada por cristãos evangélicos de todo o mundo. Entre os 15 mil pastores da Igreja Universal do Reino de Deus que atuam no Brasil, isso não é diferente. A missão religiosa na Iurd, entre outras peregrinações, consiste em levar pedidos de oração dos fiéis a lugares sagrados, como o Monte Carmelo, a Muralha de Jerusalém e o alto do Monte Sinai, por exemplo, uma árdua e esgotante escalada de mais de dois mil metros a pé.”

Eu gostaria de comentar esta resposta:

1. A viagem para Israel não é considerada uma premiação e sim uma missão religiosa almejada por cristãos evangélicos de todo o mundo.

Ok. Se eles tivessem falado uma “viagem almejada pelos cristãos”, faria todo o sentido. Mas “uma missão religiosa almejada por cristãos do mundo todo” pareceu Islamismo com peregrinação à Meca, não?. Se você, meu irmão, pode fazer uma viagem a Israel, dê graças a Deus pelas condições financeiras privilegiadas. Mas, se não fizer, nem por isso perde algo para sua fé. Aliás, a Bíblia é bem clara sobre a questão da inclusão dos gentios na nova aliança. Os judeus não tem mais privilégios do que os outros povos. Com Cristo forma-se o Israel espiritual em que todas as nações estão incluídas. Isto está bem claro na carta de Paulo aos Romanos e no Apocalipse.

2. “A missão religiosa na Iurd, entre outras peregrinações, consiste em levar pedidos de oração dos fiéis a lugares sagrados, como o Monte Carmelo, a Muralha de Jerusalém e o alto do Monte Sinai.

É estranho eles falarem em “peregrinações”. Isto foi próprio da Idade Média e nada tinha a ver com o Evangelho genuíno de Cristo. Eles também falam em “lugares sagrados como o monte Carmelo, Muralha de Jerusalém, Monte Sinai, etc…” Há aqui um claro desconhecimento da Bíblia. Em João 4, por exemplo, a mulher samaritana expressa sua dúvida com relação ao local verdadeiro de adoração. “Nossos pais adoravam neste monte, vocês dizem que em Jerusalém é o lugar onde se deve adorar.” E a resposta de Jesus: “Mulher, vem a hora em que nem neste monte, nem em Jerusalém adorareis o Pai. Vem a hora e já chegou em que os verdadeiros adoradores adorarão o Pai em espírito e em verdade.” Note que Jesus tira da mulher qualquer idéia de lugares sagrados. Nem o monte Gerizim nem Jerusalém eram lugares sagrados para adoração agora, porque, em Cristo, a adoração deixou de ser algo localizado em um templo, como era no Antigo Testamento. Com Cristo os crentes tornaram-se o templo, nós somos os tijolos, as pedras vidas, conforme Pedro (1Pe 2.5)

 3. Sobre o todo dos vídeos, isto é, a teologia da prosperidade, a igreja se defendeu dizendo que há fundamento bíblico para suas práticas. Será que eles estão certos? Será que Teologia da Prosperidade é bíblica? Vejamos alguns versículos:

“Duas coisas te peço; não mas negues, antes que eu morra: afasta de mim a falsidade e a mentira; não me dês nem a pobreza nem a riqueza; dá-me o pão que me for necessário; para não suceder que, estando eu farto, te negue e diga: Quem é o SENHOR? Ou que, empobrecido, venha a furtar e profane o nome de Deus.” (Pv 30.7-9)

“Ainda que a figueira não floresça, nem haja fruto na vide; o produto da oliveira minta, e os campos não produzam mantimento; as ovelhas sejam arrebatadas do aprisco, e nos currais não haja gado, todavia, eu me alegro no SENHOR, exulto no Deus da minha salvação. O SENHOR Deus é a minha fortaleza, e faz os meus pés como os da corça, e me faz andar altaneiramente.” (Hc 3.17-19)

“Não acumuleis para vós outros tesouros sobre a terra, onde a traça e a ferrugem corroem e onde ladrões escavam e roubam; mas ajuntai para vós outros tesouros no céu, onde traça nem ferrugem corrói, e onde ladrões não escavam, nem roubam; porque, onde está o teu tesouro, aí estará também o teu coração.” (Mt 6.19,20)

“De fato, grande fonte de lucro é a piedade com o contentamento. Porque nada temos trazido para o mundo, nem coisa alguma podemos levar dele. Tendo sustento e com que nos vestir, estejamos contentes. Ora, os que querem ficar ricos caem em tentação, e cilada, e em muitas concupiscências insensatas e perniciosas, as quais afogam os homens na ruína e perdição. Porque o amor do dinheiro é raiz de todos os males; e alguns, nessa cobiça, se desviaram da fé e a si mesmos se atormentaram com muitas dores. Tu, porém, ó homem de Deus, foge destas coisas; antes, segue a justiça, a piedade, a fé, o amor, a constância, a mansidão.” (1Tm 6.6-11)

Como sabemos que a Bíblia é inspirada por Deus e, portanto, livre de erros, errada estão estas igrejas que adotam a Teologia da Prosperidade. Ela nada mais é que idolatria.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *